Publicidade
Manaus
Manaus

Quadrilhas aterrorizaram ribeirinhos em RDS do Amazonas

O Natal para moradores que residem na localidade de Acajutuba, no município de Iranduba, foi de terror com assaltos constantes a embarcações. Bandidos levam desde objetos pessoais à  máquinas e lemes das embarcações.      04/01/2013 às 11:59
Show 1
Os bandidos fugiram levando R$ 15 mil, objeto das vítimas, uma lancha de alumínio com motor de popa e um motor bomba
Eloisa Vasconcelos Manaus(AM)

Moradores do lago de Acajatuba, no município de Iranduba, na Região Metropolitana de Manaus (RMM), viveram um fim de ano com cerca de seis assaltos, segundo eles,  ocorridos em embarcações que trafegam nas comunidades da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (SDS), no Rio Negro.  Eles estimam que os constantes roubos a embarcações, por bandos de até oito pessoas, acontecem desde o dia 20 de dezembro.

No último assalto, que  aconteceu nesta quarta-feira (2), a quadrilha era formada por oito homens que intimidaram moradores dizendo que tinham mandantes nas comunidades.

“No Natal passamos muito medo porque eles assaltaram uma embarcação e nos ameaçaram”, desabafa a moradora ao pedir das autoridades  um socorro urgente aos ribeirinhos. Ela conta ainda que a cada assalto a Polícia Fluvial é chamada, mas justifica que não pode fazer nada porque a “quadrilha é grande e de gente grande”, denunciou uma moradora que prefere não ser identificada, por medo de represália.

Ela conta que os habitantes que residem nesta localidade, dentro da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) vêm vivendo dias de terror com as quadrilhas que invadem as embarcações grande e pequenas (barco recreio, lanchas, voadeiras) e levam desde objetos pessoais, geladeira, até caixa de  máquina e lemes das embarcações.

“Geralmente eles chegam com máscaras, apagam as luzes do barco e começam o assalto com duas lanchas, uma para eles e outra grande para colocar os objetos roubados”, descreve a moradora.

Os assaltos duram em média duas horas. Segundo a moradora, eles ameaçam até mesmo assaltar postos de atendimento médico.

A reserva é dividida em Polo 1, Polo 2 e Polo 3. Este último é o que vem sendo o maior alvo dos piratas. A reserva começa em Iranduba, e segue em direção até o município de Novo Ayrão. Fazem parte também as comunidades de Arara, Jaraqui, Kaioé e Acajutuba.

Aumento de crimes

Segundo a polícia, com a atuação do programa Ronda nos Bairros na área urbana da cidade de Manaus,  os crimes de assaltos migraram para toda a área da orla da capital, fazendo com que estas ocorrências começassem a crescer nestas localidades.