Publicidade
Manaus
Centro

Conclusão de obras da Praça da Matriz pode ficar para depois das Olímpiadas

Com previsão para serem concluídas antes da Copa do Mundo de 2014, as obras de requalificação urbanística da Praça da Matriz e do Relógio Municipal, no Centro, ainda estão em execução e ao que tudo indica não serão finalizadas daqui para as Olimpíadas 2016 12/05/2016 às 09:23 - Atualizado em 12/05/2016 às 10:53
Show capturar2
Reforma da Praça da Matriz e do Relógio Municipal em ritmo lento (foto: Euzivaldo Queiroz)
Silane Souza Manaus (AM)

Com previsão para serem concluídas antes da Copa do Mundo de 2014, as obras de requalificação urbanística da Praça da Matriz e do Relógio Municipal, no Centro, ainda estão em execução e ao que tudo indica não serão finalizadas daqui para as Olimpíadas 2016, uma vez que os trabalhos nos locais seguem em ritmo lento. Enquanto isso, lojistas e consumidores reclamam da demora na entrega da reforma dos espaços.

A gerente de uma loja de confecções, C. O, de 48 anos, disse que desde que o entorno da Matriz foi fechado para reforma às vendas caíram e a insegurança aumentou. Os assaltos são frequentes e não há policiamento na área. Além disso, a obra não anda e o que se ver é um total estado de abandono. “É difícil vermos alguém trabalhando nessa reforma que começou há mais de quatro anos. De manhã essa área é tomada pelo mau cheiro é horrível”, relatou.

O PAC Cidades Históricas informou que a obra foi iniciada em julho de 2015 e estava prevista para ser entregue em 240 dias. Mas o andamento das obras do programa, bem como o estabelecimento de novos prazos, está dependendo do pagamento referente às primeiras medições das obras iniciadas, que até o momento não foi efetuado de forma integral pelo Governo Federal. Também não há nenhum posicionamento do Governo quanto a prazos para o pagamento.

Quanto aos trabalhos, o PAC Cidades Históricas informou que todos os dias os serviços são executados no local. “Atualmente está sendo feito na Praça da Matriz escavação do trecho em que haverá a reabertura da avenida Eduardo Ribeiro (via ao lado do Relógio Municipal)”, disse em nota.    

A Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno (Semef) informou que a requalificação é financiada com recursos da União através de Convênio firmado entre o Governo Federal e Prefeitura de Manaus. Mas a administração está estudando uma forma de executar tais obras com recurso do tesouro para depois tentar o ressarcimento o valor empenhado aos cofres públicos. Porém até o momento não há nada definido sobre o assunto.

Em relação à operação de crédito aprovada pelo Senado Federal esse ano, a Semef informou que refere-se ao financiamento externo a ser firmado entre o Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird) e a Prefeitura de Manaus, denominado Programa de Consolidação do Equilíbrio Fiscal para a Melhoria da Prestação de Serviços Públicos (Proconfis Manaus), no valor de US$ 150 milhões.

O montante será destinado a investimentos da cidade de Manaus nas áreas de infraestrutura, educação, sistema de gestão, inclusão social e geração de renda, projetos esses ainda em fase de definição pelo prefeito.

Ainda de acordo com a Semef, é de interesse da administração municipal a conclusão das obras, inclusive a Praça XV de Novembro (Matriz), Praça Adalberto Vale e Praça Tenreiro Aranha, integrantes do PAC Cidades Históricas, uma vez que tais são emblemáticas para a cidade, seja pela sua importância histórica, sua localização e pelos seus atrativos turísticos e de lazer, tornando-se prioritárias para a municipalidade.