Publicidade
Manaus
Manaus

Rebecca Garcia recebe apoio de Braga com cautela

A prefeiturável adotou fala cautelosa ao falar ontem sobre a construção dos apoios ao nome dela 28/06/2012 às 07:34
Show 1
A deputada Rebecca Garcia tem hoje uma série de reuniões, com o governador Omar Aziz, e com Eduardo Braga
ROSIENE CARVALHO ---

A candidatura da deputada federal Rebecca Garcia (PP) à Prefeitura de Manaus ganhou novo impulso com a renúncia do senador Eduardo Braga (PMDB), ontem, na disputa, mas nos bastidores, para o PP o terreno é movediço até o dia 30. O PP ainda caminha com muito cuidado para que consiga reunir toda a base em torno do nome de Rebecca Garcia. A deputada Rebecca Garcia disse ontem que falou, por telefone, com o senador Eduardo Braga logo após o pronunciamento dele no Senado.

A prefeiturável informou que terá nova reunião hoje com o governador Omar Aziz. “Não tive como assistir (pronunciamento) porque estava numa reunião, mas falei com o senador logo após o pronunciamento por telefone”. O anúncio de que Eduardo Braga está fora da disputa e a proximidade para o final do prazo não foram suficientes para que o grupo político fechasse a coligação em torno do cargo majoritário. Ontem, os partidos tiveram várias reuniões durante todo o dia, mas não conseguiram fechar o arco de aliança. Agora, a principal indefinição é em relação ao PT, que também conversa diariamente com o PDT de Amazonino Mendes.

Segundo informação da própria deputada federal Rebecca Garcia, a sigla não deu certeza que irá apoiar o nome dela. “O PT demonstra muita simpatia pela nossa candidatura, mas gostaria de compor como vice. O partido colocou que caso não consiga compor poderá decidir pela candidatura própria”, declarou a prefeiturável. Hoje, a deputada federal terá uma reunião com o senador Eduardo Braga, que ontem declarou no Senado apoio ao nome dela na disputa eleitoral deste ano. A principal pauta da conversa serão os nomes cotados para vice na chapa de Rebecca. Ontem, o vereador e vice-presidente da Câmara Municipal de Manaus, Marcell Alexandre, foi o nome mais comentado e confirmado como um dos favoritos. Rebecca Garcia elogiou o vereador e disse que ele seria um ‘bom quadro’. “O pastor Marcell Alexandre é maravilhoso. Tem componentes que o colocam como uma pessoa muito interessante para compor essa chapa. Como vereador, tem conhecimento de Manaus. É do PMDB. Mas a definição tem que passar por um entendimento de todo grupo”, declarou.

Costura
Os maiores elogios de Rebecca Garcia foram dados aos quadros petistas. “O PT é um partido que, do fundo do coração, gostaria de ver na minha chapa. Tenho uma relação excelente com os parlamentares, com a executiva e todas as pessoas do partido. Com o PT eu me sinto em casa”, afirmou a prefeiturável. A deputada preferiu não citar os partidos que já manifestaram apoio à candidatura dela alegando que as alianças ainda podem ser alteradas. “É complicado dizer qual o partido que já fechou, porque a toda hora muda. O PV, por exemplo, demonstrou que quer aderir, mas tem questões internas que não foram decididas”. disse. O secretário-geral do PP, Walter Cipelli, informou ontem que PMDB, PSD e PP sentaram ontem para decidir sobre as alianças para os cargos proporcionais de Manaus. Mas que também não conseguiram fechar a coligação. O secretário-geral do PMDB, Miguel Capobiango, confirmou, ontem, que a convenção da sigla será nos mesmos dia e local do PSD e do PP - sábado, às 9h.

Nicolau desiste da vaga de vice

O presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), Ricardo Nicolau (PSD), disse ontem que, com a desistência do senador Eduardo Braga (PMDB) em disputar a Prefeitura de Manaus, não pleiteia mais ser candidato a vice-prefeito. “Eu tinha falado isso (ser candidato a vice) numa composição com o PMDB, onde o vice sairia naturalmente do PSD, que é o partido do governador Omar Aziz”, afirmou o deputado do PSD. Com a convergência do grupo de Omar e Braga para a candidatura da deputada federal Rebecca Garcia (PP), Ricardo Nicolau disse que outros partidos aliados entram no páreo para ocupar o posto de vice na chapa majoritária. O PMDB e o PT são os que mais tão se atirando à vaga. “Agora tem o PMDB e outros partidos da base aliada. Ter essa conversa com outros partidos é importante para manter o arco de aliança do governador”, disse o presidente da ALE-AM.