Publicidade
Manaus
Manaus

Redução do IPI causa efeito ruim sobre venda de carros usados

Ao mesmo tempo que incrementou as vendas de carros novos, o IPI reduzido esfriou a de veículos seminovos 16/08/2012 às 09:20
Show 1
IPI reduzido ajudou a “desafogar” o pátio das revendedoras de carros novos
LUANA GOMES Manaus

O fôlego tomado pelos representantes de carros novos, com a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), provocou uma queda nos negócios no setor de carros usados. Com zero de IPI para carros novos, a diferença de preço em relação ao usado passou a ser, em alguns casos, de apenas R$ 1 mil, tornando atrativo o automóvel novo em detrimento do usado. Por conta disso, concessionárias amazonenses reduziram o estoque de seminovos. Pátios com 150 carros usados, atualmente contam com apenas 30, conforme levantamento realizado nessa quarta-feira (15) pela reportagem de A CRÍTICA.

De acordo com o diretor de operações da concessionária Pedragon – revendedora autorizada da Chevrolet –, Germano Morais, a empresa não teve problemas em vender os seminovos por conta do estoque reduzido, o que permitiu a liquidez dos produtos. O diretor avaliou que, além da redução nos preços de veículos novos, as condições de financiamento para carros usados são mais rigorosas, impedindo a concretização das propostas de venda.

Pátio esvaziado

Na revendedora Via Marconi, autorizada Fiat, o gerente de vendas, Antônio Carlos Lima, disse que os estoques costumavam ser de 100 carros, mas atualmente não ultrapassam a faixa de 60. Ele reforçou que a dificuldade na aprovação de crédito para a compra de usados impacta o setor. Na concessionária,  70% das solicitações para seminovos são recusadas. “Em apenas um dia, 14 de 17 cadastros de clientes foram rejeitados”, afirmou Lima.

Ainda segundo o gerente da Via Marconi, as vendas dos seminovos têm despencado desde o ano passado e foram agravadas após os incentivos concedidos pelo Governo Federal à comercialização de novos veículos. Segundo ele, em julho deste ano, na Via Marconi, foram vendidos 19 carros usados, uma redução de 152,63% em comparação a igual período de 2011 (48 automóveis).

Lucro

O proprietário da Kodó Veículos, Diogo Augusto, explicou a “sinuca de bico” a que foram levados os revendedores de carro usado, com a redução do IPI cujo prazo termina no fim do mês. “Fomos obrigados a dar descontos, em alguns casos de até R4 3 mil, para diferenciar o nosso preço daquele praticado nos carros novos. Ocorre que ao fazer isso nossa margem de lucro também foi drasticamente reduzida”, disse, acrescentando que em julho sua loja  vendeu 41 carros, dos quais somente 16 eram usados.