Publicidade
Manaus
Manaus

Representantes do Amazonas pedirão apoio a ministério para municípios prejudicados pela cheia

Entre as reivindicações, os dirigentes amazonenses querem apoio do ministro a favor da liberação de recursos do Seguro Rural, um dos mais importantes instrumentos de política agrícola do ministério 29/02/2012 às 17:04
Show 1
Casas e comércios foram invadidos pela água. Os prejuízos ainda não foram calculados
acritica.com Manaus

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Mendes Ribeiro, recebe nesta quinta (1º de março), às 8h45, no seu gabinete em Brasília, a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e o secretário de Produção Rural do Amazonas, Eron Bezerra, que vão solicitar apoio aos produtores rurais de seis municípios amazonenses que estão sendo prejudicados pela enchente na calha do Juruá: Boca do Acre, Carauari, Envira, Eirunepé, Guajará e Itamarati.

Entre as reivindicações, os dirigentes amazonenses querem apoio do ministro a favor da liberação de recursos do Seguro Rural, um dos mais importantes instrumentos de política agrícola do ministério.   

Em seguida, às 10h30, Eron Bezerra terá encontro no Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit) para tratar sobre recuperação de vicinais no Amazonas. Às 15h, o titular da Sepror reunirá com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) a fim de negociar o peixe seco produzido na indústria de bacalhau da Amazônia de Maraã. Além de bacalhau, a fábrica está apta a produzir pescado seco e salgado de várias espécies.

Municípios afetados pela cheia
O auxílio aos sete municípios afetados pela cheia da calha do Rio Juruá e ao município de Boca do Acre, na calha do Rio Purus, contará com as atividades do Grupo Técnico Operacional de Vigilância em Saúde, segundo informações do governo do Estado. A equipe é coordenada pelo gerente de Riscos Não Biológicos (GRNB) da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS), Nailton Lopes Ribeiro.

De acordo com Nailton Ribeiro, o Grupo Técnico Operacional de Vigilância em Saúde irá viabilizar e coordenar as ações de todas as vigilâncias – epidemiológica, ambiental, sanitária – além de laboratórios e educação em saúde e mobilização social. O cronograma de ações será definido pela FVS/AM ainda esta semana.

Como medida emergencial, Ribeiro esclarece, que já está sendo desenvolvido uma Nota Técnica documento com recomendações aos municípios que enfrentam a enchente e aqueles com potencial risco para serem atingidos pela subida das águas.

O programa articulado pelo Grupo Técnico Operacional de Vigilância em Saúde visa nortear os municípios, em épocas de enchentes ou grandes vazantes, quanto o monitoramento das doenças diarréicas agudas e monitoramento e vigilância de acidentes com animais peçonhentos, qualidade da água para consumo humano, produção, armazenamento e manipulação de alimentos, e das condições sanitárias dos abrigos improvisados.