Publicidade
Manaus
ZONA AZUL

Empresários apóiam implantação do sistema de estacionamento Zona Azul em Manaus

Em reunião na CDL, comerciantes afirmaram que o sistema de estacionamento rotativo pode beneficiar o comércio do Centro e atrair clientes 09/03/2018 às 14:41
Show capturar
Foto: Manoel Nunes/Divulgação CDL-Manaus
Silane Souza Manaus (AM)

Representantes do Consórcio Amazônia se reuniram nesta sexta-feira (9), em Manaus, com empresários do comércio para apresentar e tirar dúvidas sobre o funcionamento do estacionamento rotativo Zona Azul, implantado no Centro de Manaus. O encontro aconteceu na sede da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), na avenida Djalma Batista, bairro Chapada, Zona Centro-Sul.

O presidente da CDL, Ralph Assayag, disse que os empresários apoiam a implantação do Zona Azul, pois acreditam que vai contribuir com a organização do estacionamento de veículos no Centro da cidade, inclusive, beneficiando o comércio da área e atraindo clientes para as lojas, mas tinham algumas dúvidas sobre questões relativas ao comércio local, dentre elas, as regras que serão adotadas para carga e descarga de mercadorias, por exemplo.   

O diretor operacional do Consórcio Amazônia, Guilherme Ruiz, explicou que a ocupação de vaga para tal fim, a princípio não será cobrada, mas deve haver uma regulamentação melhor sobre o tempo de permanência dos veículos no local. “O nosso sistema tem toda a possibilidade de contribuir com essa fiscalização. Na medida em que os monitores identificarem alguma irregularidade eles podem comunicar em tempo real os agentes de trânsito para que tomem as medidas necessárias”, disse.

Ruiz afirmou que o sistema traz comodidade para o motorista, que pode visualizar as vagas disponíveis através do aplicativo “Zona Azul Manaus”, fazer o pagamento e ir direito, sem precisar ficar dando voltas atrás de uma vaga para estacionar. “Se ele tiver adquirido crédito e autorizado o débito automático, o próprio monitor faz a regularização da vaga de estacionamento sem que o usuário tenha que se preocupar com isso. A compra e o pagamento também podem ser feitos com os monitores”.

O presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Amazonas (FCDL-AM), Ezra Azury Benzion, disse que os empresários são totalmente favoráveis que seja feito o reordenamento do Centro, com a cobrança. “Nós entendemos que isso vai atrair clientes porque muitas pessoas não querem ir ao Centro porque é difícil parar o carro. As pessoas, às vezes, passam muito tempo, se acham dono daquela vaga e a vaga não é de ninguém, é de todos, ou seja, são vagas públicas, rotativas”, afirmou.

Outra questão também apontada por ele é que os consumidores não sabem quanto pagar aos flanelinhas, se R$ 2, R$ 5 ou R$ 10. Mas com o sistema Zona Azul, essa situação ficará mais disciplinada, com a pessoa sabendo quanto vai pagar. A tolerância de 15 minutos também é uma medida muito boa, de acordo com Benzion. “É importante que esse tempo seja dado para a pessoa que tem que fazer alguma coisa e não vai demorar. É um grande ganho para a sociedade”.

O estacionamento rotativo Zona Azul foi lançado pelo Consórcio Amazônia e pela Prefeitura de Manaus em 17 de janeiro deste ano, atuando por enquanto em caráter educativo, sem cobrança de taxa, apenas com orientação à população. O sistema conta com 1.500 vagas. As vagas de estacionamento estão disponíveis na avenida Eduardo Ribeiro e nas ruas 10 de Julho, Barroso, Henrique Martins, Rui Barbosa, 24 de Maio, Costa Azevedo, Marçal, Dona Libânia, Monsenhor Coutinho, Tapajós, Lobo D’Almada, Joaquim Sarmento, José Clemente, Ramos Ferreira, Frei Lourenço e Ferreira Pena.

Publicidade
Publicidade