Publicidade
Manaus
SOLIDARIEDADE

Casa onde mãe mora com mais 5 filhos em condições precárias corre risco de vir abaixo

Viúva e seus filhos vivem na casa 901 da rua Paxiúba, 901, no Santa Etelvina. Vizinhos fazem campanha para arrecadar recursos para reformas 18/12/2017 às 04:50 - Atualizado em 18/12/2017 às 08:44
Show casapradesabar1
A viúva Maria da Conceição e quatro dos seus cinco filhos: casa prestes a desabar, doenças e situação de penúria / Fotos: Jair Araújo
Paulo André Nunes Manaus (AM)

Num dos cantos do casebre de alvenaria prestes a cair da catadora de materiais recicláveis Maria da Conceição, 38, a pequena Júlia, de 7 anos de idade, é o reflexo da situação da família: aparentando desnutrição, pálida e tristonha, ela não sorri. Como se não houvesse amanhã. Situação de dar dó. O retrato é o mesmo da mãe e de mais cinco filhos que vivem na rua Paxiúba, 901, comunidade Vera Cruz, bairro Santa Etelvina, Zona Norte de Manaus.

No local, há cinco anos vivia o então marido de dona Conceição, que morreu de infarto. Outra pessoa, de nome Manoel, espécie de anjo da guarda para ela, foi assassinado há alguns meses supostamente por traficantes após denunciar crimes na comunidade. Foi um baque para ela e os filhos David, 3, Bruno, 5, Júlia e Júlio, 7, e Elias, 12. A casa construída há cerca de 20 anos, está toda deteriorada, com rachaduras e corre sérios riscos de cair pois não tem sustentação por meio de colunas, precisando de uma reforma completa, atesta a dona de casa Elen Vasconcelos, uma das moradoras que decidiu encampar pedidos de apoio, pelo Facebook, para a família.

“A situação piora em dias de chuva pois fica alagada. É comum as crianças ficarem concentradas no canto da casa esperando a chuva passar. A casa está para desabar na cabeça deles. Eles precisam de uma vida digna. Nem material escolar as crianças tinham para ir à escola. Isso me tocou e vim aqui pedir ajuda. Pedimos ajuda no Face, uma amiga criou um grupo de ação solidária que tem 40 pessoas, mas está difícil”, disse Elen.

A residência, que tinha apenas dois colchões para seis pessoas, agora, com doações, conta com uma cama de casal, uma geladeira, armário, botija, fogão e uma TV. O orçamento feito para dar uma segurança na estrutura da casa, com colunas e vigas, ficou em R$ 2.069, segundo o pedreiro Vanderli da Silva. É apenas o básico, e falta reformar locais como o telhado.

“A casa está toda rachada, e um vento forte pode desabar a casa. Esse foi o menor orçamento que eu encontrei. Antes a casa estava toda coberta pelo matagal”, disse ele. Ontem, uma feijoada visava arrecadar dinheiro para as obras e o sustento parcial da família.

De acordo com o grupo de apoio, a penúria fez com que o filho mais velho, Elias, cometesse tentativa de suicídio ao tomar medicamentos há cerca de 20 dias. Ele escapou, mas ao ser hospitalizado foi diagnosticado com pneumonia.

Lembram da pequena Júlia? Sábado pela manhã ela teve febre e foi encaminhada para uma unidade de saúde. Essa realidade é diária na vida sofrida da família da Zona Leste.

Apelo para lojas de construção

A dona de casa Ádria Lira faz um apelo para os donos de lojas de construção para ajudarem dona Conceição. O piso da casa 901 é tipo “vermelhão”, mas está desgastado. “Peço que aqueles que tiverem pontas de estoque que não queiram mais, tipo porque a cerâmica é de cores diferentes, se quiserem doar nós vamos buscar”, diz ela.

A umidade concentrada no local exala um mau cheiro no interior da casa capaz de provocar náuseas em qualquer pessoa.

Quer ajudar?

(92) 99273 4060 é o número do celular de dona Elen Vasconcelos, uma das comunitárias que está à frente do grupo de apoio para quem quiser ajudar a família de dona Maria da Conceição.