Publicidade
Manaus
Manaus

Risco na rodovia Manuel Urbano

Falta de fiscalização faz da estrada e dos balneários, que ficam ao longo de seu percurso, palco de imprudências e irregularidades 20/02/2012 às 11:52
Show 1
Sem fiscalização ao longo da rodovia, caminhões e caminhonetes são utilizados livremente para o transporte de pessoas
Florêncio Mesquita Manaus (AM)

Quatro meses depois da inauguração da ponte Rio Negro, as irregularidades no trânsito, falta de fiscalização, perigo de acidentes e afogamentos em balneários ao longo da rodovia Manuel Urbano (AM-070) continuam os mesmos.

Apesar de o tempo ter passado os problemas na estrada que liga o distrito de Cacau Pirêra ao Município de Manacapuru não foram resolvidos e parecem longe se ser minimizados. Os balneários públicos, tais como o Miriti, no Km 79, e a praia do Açutuba, no Km 28, concentram um número cada vez maior de visitantes.

O detalhe é que em toda a extensão das praias não há salva-vidas, bombeiros ou qualquer tipo de socorro que possa ser prestado aos banhistas que precisem de cuidados. O perigo nos locais é intensificado com o consumo desregrado de bebida alcoólica. Só no período da manhã de ontem, a reportagem de A CRÍTICA flagrou vários banhistas consumindo cerveja dentro do rio.

Risco de acidente
Outra grave situação é a presença de jet skis nas praias em meio aos banhistas. Segundo a legislação marítima brasileira, os pilotos de jet ski só podem trafegar com a embarcação a partir de 200 metros de distância da praia contando com a área da arrebentação. No entanto, na praia do Açutuba, os jet skis são manobrados próximos aos banhistas, aumentando o risco de atropelamento e acidentes.

Movimento de jet skis na praia de Açutuba (foto) e no Miriti (Manacapuru) colocam banhistas em risco

Um dos jet skis flagrados pela reportagem transportava três pessoas, sendo que a embarcação é projetada para apenas dois passageiros. Para usar um jet ski, conforme a legislação, é necessário que o condutor tenha habilitação de motonauta ou arrais-amador, exigência que, sem fiscalização, não é respeitada.

Já o trânsito da AM-070 continua sendo prejudicado por conta dos veículos que são estacionados nas laterais da rodovia que não tem acostamento. A situação ocorre, principalmente, em frente a balneários particulares, estreitando a via de duas para uma mão. Além de causar retenção, a situação obriga os condutores a reduzirem a velocidade e passarem a uma distância mínima um do outro aumentando o risco de acidente.

O problema ocorre porque do início ao fim da rodovia AM-070 não há nenhum tipo de fiscalização. Desta forma fica fácil flagrar motociclistas e garupas conduzindo motocicletas sem capacete e em alta velocidade, além de veículos de carga e utilitários, como caminhões e picapes transportando pessoas sem nenhuma segurança. As duas situações são infrações gravíssimas puníveis com multa e apreensão do veículo.

Melhorias
A única fiscalização visível e reconhecida pelos condutores é a melhoria da sinalização da rodovia AM-070. As placas que indicam limite de velocidade, estreitamento de pista, curvas, entre outras, que há quatro meses estavam praticamente ilegíveis, foram trocadas e pintadas. O mesmo foi feito com as faixas contínuas simples e dupla, que indicam que o veículo pode e não pode ultrapassar na rodovia. Elas receberam nova pintura de amarelo. Não há fiscalização de trânsito ao longo da rodovia.

Duplicação da AM-070 começa em abril

Mais R$ 236 milhões devem ser usados na duplicação da rodovia Manuel Urbano, AM-070, segundo orçamento prévio do Governo do Estado em um percurso de 78 quilômetros de extensão. A obra, que deve solucionar a retenção ao longo da via, está prevista para ser iniciada no mês de abril deste ano.

A duplicação foi apresentada durante duas audiências públicas realizadas pelo Estado, em janeiro, com a população dos municípios de Iranduba, Manacapuru e representantes do governo.

O projeto já foi aprovado pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) que disponibilizará um investimento da ordem de R$ 211 milhões, o restante será uma contrapartida do Governo do Estado.

De acordo com o projeto, a largura total da pista passará para 18,80 metros, sendo que serão construídas duas pistas com 7,10 metros de largura. A obra também terá acostamento e drenagem de 2,30 metros em cada lado. As pontes sobre os rios Rio Ariau e Miriti, trechos da AM-070, também serão duplicadas.

As audiências foram realizadas para que a população pudesse apresentar sugestões para  o projeto.