Publicidade
Manaus
Jogo do empurra

Rodoviária, a filha que ninguém queria

Chefe da Casa Civil do governo diz que devolução não foi tratada de forma oficial. Zaidan também informou que, quando a rodoviária for devolvida, ficará sob responsabilidade da Secretaria de Estado de Administração (Sead) 18/08/2012 às 17:06
Show 1
Terminal Rodoviário de Manaus
Jornal A Crítica Manaus (AM)

O chefe da Casa Civil do Governo do Amazonas, Raul Armônia Zaidan,  afirmou que apesar de ter participado de reunião, no dia 4 de julho, com o superintendente municipal de Transportes Urbanos, Wesley Aguiar, nela não foi oficializada a devolução para o Estado do Terminal Rodoviário Huascar Angelim e que, por isso, o governo  não discutiu projetos  para o local.

 Zaidan também informou que, quando a rodoviária for devolvida, ficará sob responsabilidade da Secretaria de Estado de Administração (Sead). “Na reunião, a SMTU informou apenas que irá devolver e não apontou uma data de quando isso será oficializado. Por isso, ainda não está decidido nada sobre reformas no local”, disse Zaidan.

A Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) informou na segunda-feira que o Terminal Rodoviário Huascar Angelim, localizado na avenida Mário Ypiranga Monteiro (antiga Recife), bairro de Flores, Zona Centro-Sul, seria devolvido para o Estado porque a prefeitura julgou que não cabe mais ao Executivo Municipal ter a responsabilidade pelo espaço que gerencia serviços de transporte não somente intermunicipais, mas também interestaduais e internacionais (com destino à Caracas, na Venezuela).

De acordo com a SMTU, até o final de setembro o prédio será devolvido oficialmente e com a mudança os serviços adminsitrativos e de atendimento ao público do órgão municipal serão transferidos para outros dois prédios: na avenida Maceió, bairro Adrianópolis e na avenida Torquato Tapajós, bairro de Flores.

O Terminal Rodoviário Huascar Hangelim foi inaugurada na década de 80 pelo governador José Lindoso. Desde de 27 de agosto de 1980 que o Decreto Municipal nº 2099, definiu que a manutenção e administração da referida rodoviária ficasse a cargo da da SMTU.

Segundo a Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos do Estado do Amazonas (Arsam), responsável pela operacionalização do transporte intermunicipal, em média, 28 mil passageiros passam todos os meses pelo local.

Muitas pessoas que costuma fazer viagens intermunicipais e interestaduais reclamam da infraestrutura precária da rodoviária.