Publicidade
Manaus
Manaus

Rodoviários de Manaus em novo ‘round’

Direção atual, presidida por Josildo de Oliveira, acusa a antiga junta governativa de falsificar documento e enganar juíza 14/07/2012 às 09:18
Show 1
Briga pela direção do Sindicato dos Rodoviários se arrasta desde dezembro e, no ápice, causou uma greve geral que prejudicou mais de 1 milhão de trabalhadores
FLORÊNCIO MESQUITA Manaus

Uma nova confusão agitou ontem o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviários de Manaus. Desta vez a atual diretoria do sindicato entrou com uma ação na Corregedoria do Tribunal de Justiça do Estado, além dos ministérios públicos Estadual, Federal e do Trabalho e também na Polícia Federal, para apurar crimes praticados pela junta governativa que dirigiu a entidade entre dezembro de 2011 e maio deste ano.

A direção atual apresentará como prova uma certidão do 3ª Ofício de Notas de Manaus que foi, segundo a atual diretoria, falsificada para manter a junta governativa a frente da entidade. Tanto a junta governativa que foi presidida por Francisco Bezerra, quanto à atual diretoria que tem como presidente Josildo Oliveira, possuem certidões com o carimbo de autenticidade do mesmo cartório.

Francisco Bezerra junto com outros rodoviários ingressaram com uma ação da Justiça do Trabalho que resultou na destituição de toda a diretoria do sindicato na gestão de Josildo Oliveira. Eles apresentaram à Justiça uma ata com a decisão tomada em assembleia com os trabalhadores. O documento tinha o registro do cartório do 3ª Ofício de Notas de Manaus.

A diretoria destituída chegou a se defender alegando que o documento era falso, uma vez que segundo eles, a assembleia não ocorreu. A Justiça desconsiderou os argumentos e deu parecer favorável aos membros  da junta governativa.

A ata tinha o carimbo de registro do Cartório de Registro de Títulos e Documentos. No entanto, no dia 27 de junho deste ano o mesmo cartório expediu uma certidão afirmando que a ata de assembleia geral apresentada pelos membros que passaram a compor a junta governativa não foi registrada no local.

O pedido de verificação de registro foi feito por Élcio Campos Rego, membro da atual diretoria do sindicato. A certidão é assinada pela oficial efetiva do cartório, Maria da Conceição Castro Lopes atestando que nenhum registro de ata do sindicato dos rodoviários havia sido registrada naquele cartório.

A junta governativa entrou com a ação pedindo a saída da diretoria de Josildo apresentando justamente a ata que não consta no cartório. O argumento do pedido à Justiça foi a não prestação de contas do sindicato na gestão de Josildo Oliveira no período de 2001 a 2005.