Publicidade
Manaus
Manaus

Rodoviários suspendem indicativo de greve por 72 horas, em Manaus

Os rodoviários prometem parar 70% da frota de ônibus caso não haja acordo. Conforme Élcio Campos, vice-presidente do STTRM, até o prazo final a categoria continua as negociações com o sindicato patronal 24/07/2012 às 14:36
Show 1
Rodoviários prometem parar 70% da frota de ônibus caso não haja acordo
acritica.com Manaus (AM)

O Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário de Manaus (STTRM) suspendeu por 72 horas, o indicativo de greve previsto para começar à meia noite desta terça-feira (24), após reunião a portas fechadas na sede da Superintendência Municipal de Trânsito Urbano (SMTU), com representantes  do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Manaus (Sinetram), na manhã desta terça-feira.

Os rodoviários prometem parar 70% da frota de ônibus caso não haja acordo. Conforme Élcio Campos, vice-presidente do STTRM, até o prazo final a categoria continua as negociações com o sindicato patronal. “A SMTU propôs o reembolso aos trabalhadores do desconto na folha de pagamento dos empregados, referente a um dia de paralisação no mês de abril, mas o Sinetram não acordou a remuneração”, afirmou. Foram descontados R$ 700 mil nos salários dos trabalhadores.

Na manhã desta quarta-feira (25), o sindicato dos rodoviários participa de uma audiência, juntamente com os empresários, na sede do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região (TRT11), dando continuidade na rodada de nogiciações. “Nós vamos tentar a negociação do dissídio coletivo. Conforme for, decidiremos sobre a paralisação das atividades”, disse.

Empresas

A assessoria de imprensa do Sinetram diz que não vai abrir mão do dissídio coletivo, quanto ao desconto nos salários dos funcionários das empresas de transportes de passageiros, pela paralisação realizada pelos rodoviários no dia 10 de abril deste ano.

O desconto nos salários dos trabalhadores foi determinado pela Justiça, que classificou a greve como ilegal, além de determinar multa à categoria. Na época, o presidente do sindicato dos rodoviários era Francisco Bezerra.