Publicidade
Manaus
Manaus

Saxofonista Teixeira de Manaus recebe homenagem por sua obra durante o Festival de Jazz

Grande nome da música Amazonense, Teixeira de Manaus recebeu homenagem das mãos do secretário de Cultura do Estado, Robério Braga. 28/07/2012 às 12:29
Show 1
Teixeira de Manaus recebe homenagem durante o 7º Festival de Jazz do Amazonas
Bruno Strahm Manaus

O Festival de Jazz, que começou na terça-feira (24), iniciou sua progrramação na noite desta sexta-feira (27), no Teatro Amazonas, homenageando o saxofonista Rudeimar Soares Teixeira, mais conhecido como 'Teixeira de Manaus'.

Ovacionado pela platéia que lotou todas as cadeiras disponíveis no teatro, incluindo 80 pessoas vindas do Município de Borba especialmente para a ocasião, Teixeira de Manaus recebeu das mãos do Secretário de Cultura do Estado, Robério Braga, a placa que simboliza toda a homenagem.

"Estávamos devendo esta justa homenagem à vida e obra este grande artista, que levou o nome do Amazonas para o Brasil e para o mundo com um ritmo que é nosso, antes mesmo do boi bumbá. Ele embalou muitas festas de pessoas do interior e da capital", dise Robério Braga.

O artista fez um breve e emocionado discurso: “Eu sabia que um dia eu estaria aqui no palco deste teatro lindo recebendo esta incrível homenagem. Obrigado, Manaus, obrigado Amazonas !”, finalizou.

Teixeira de Manaus nasceu em Careiro da Várzea, interior do Amazonas, autodidata, aprendeu a tocar saxofone sozinho. É compositor, arranjador e cantor de toda sua obra.

 Foi o grande nome da música amazonense da década de 80,  o precurssor do ritmo que ficou conhecido como Beiradão, uma mistura e ritmos caribenhos, jazz e forró. Caracterizado pelo ritmo extremamente dançante com letras curtas e contagiantes. Criou inúmeros sucessos como: “Deixa meu sax entrar”, “Alegria do Sax” e “Amassa a moca”

Após a homenagem, Teixeira de Manaus realizou um show que resgatou todas suas músicas mais conhecidas e levantou todos os presentes na platéia que vibravam a cada momento.

Entre uma mísica e outra ele confidenciou aos presentes:

"Estava a quatro anos sem colocar o meu sax na boca. Já tinha dado minha carreira como encerrada, não conseguia mais tocar. Quando soube que receberia esta homenagem fiz de tudo para conseguir estar no palco mais uma vez", finalizou o músico

Mal estar

Enquanto atendia as dezenas de fãs após do show, no hall do Teatro Amazonas, o músico sentiu-se mal e teve de se recolher no seu camarim para ser atendido pelo médico do local. Por conta disso, a imprensa que aguardava a coletiva de Teixeira de Manaus não conseguiu falar com o músico.