Publicidade
Manaus
Manaus

Secretaria ainda não foi notificada sobre a suspensão do concurso da Semsa

A informação é do secretário municipal de administração, José Antonio Ferreira de Assunção, ao alegar que a Semad ainda não foi notificada pelo MP-AM 01/06/2012 às 12:58
Show 1
Candidatos em frente a um dos locais de prova do concurso da Semsa que foi cancelado
acritica.com Manaus (AM)

A Secretaria Municipal de Administração (Semad) ainda prevê que a realização do concurso da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) aconteça no próximo domingo (03), em Manaus, mesmo depois de pedido à Justiça pela suspensão do certame. Segundo a Semad, o órgão não foi notificado sobre a medida até o início da tarde desta sexta-feira (01).

Conforme o secretário municipal de administração, José Antonio Ferreira de Assunção, a secretaria ainda não foi notificada sobre a ação cautelar judicial que pede a não realização das provas do concurso.  “Seguimos com os procedimentos legais para a realização das provas nos pontos marcados e remarcados, teremos normalmente a prova pela manhã e pela tarde”, informou ele.

O descumprimento, por parte da Semad, do pedido feito pelo Ministério Público Estadual (MPE-AM) para que fossem apuradas, em procedimento administrativo, as irregularidades ocorridas durante a realização do concurso público da Semsa, no último domingo (27), em Manaus, resultou, nesta quinta-feira (31), na instauração da ação cautelar no Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM).

Conforme informações da assessoria de imprensa do MPE-AM, a Semad deve ser notificada até o final da tarde desta sexta-feira, após análise do processo judicial, pela promotora Deliza Vieiralveis. O órgão informou que o processo já foi encaminhado ao TJAM.

Entenda o caso

O concurso público da Semsa aconteceu pela no dia 27 de maio, mas teve parte de sua aplicação adiada para este domingo (03), após ocorrer problemas de atraso na entrega de algumas provas na unidade de realização da Faculdade Fametro.

Na ocasião, dezenas de candidatos do certame ficaram impedidos de realizar o concurso e, se sentindo prejudicados, protocolaram denúncias na sede da Procuradoria Geral de Justiça na última segunda-feira, 28, pedindo a abertura de investigação por parte do MPE-AM.

Além do atraso na entrega de provas, os participantes do concurso também alegaram ao MP o vazamento de respostas das provas antes da publicação oficial do gabarito e a semelhança de identidade de algumas questões entre as provas aplicadas pela manhã e pela tarde. Essas denúncias geraram a instauração de dois inquéritos civis para apurar essas ocorrências por parte da 54ª Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos Constitucionais do Cidadão, a 54ª Prodedic.