Publicidade
Manaus
Manaus

Secretária de Infraestrutura do Estado contra-ataca superintendente do Dnit-AM

‘O Dnit-AM não é fiscal de obras (...). Não as minhas!’, declarou a secretária de Estado de Infraestrutura, Waldívia Alencar 26/01/2012 às 14:51
Show 1
A secretária de Infraestrutura, Waldívia Alencar, questiona postura do Dnit e aponta falhas nos projetos executivos para o AM.
LÚCIO PINHEIRO Manaus

Após as críticas feitas pela direção do Dnit-AM, a secretária de Estado de Infraestrutura, Waldívia Alencar, contra-atacou. Disse, em entrevista na terça-feira (24) que não tem entrosamento com o órgão federal. Criticou os projetos executivos das obras, e afirmou ter, por pressão de prefeitos, autorizado a operação de portos inacabados.

A seguir, trechos da entrevista:

AC- O Governo do Estado tem dificuldade para entregar os portos?

WA- Temos. Porque os projetos que foram entregues pelo Dnit à Seinfra como projetos executivos não eram projetos executivos. Estão incompletos. E como resolver esse impasse, já que o Dnit defende a qualidade dos projetos? Como é que ele vai dizer que errou? Ele tem que ser muito nobre. Para botar a cara para bater. Nós não queríamos chegar a esse nível.

AC- A Seinfra vai conseguir entregar esses portos até o final do ano?

WL- Vamos conseguir. Mesmo considerando essa falta de entrosamento com o Dnit. Os cabras resolvem brigar aqui em cima (no alto escalão), e os técnicos querem partir cada um para um lado.

AC-Qual a dificuldade do Governo do Estado para prestar contas dessas obras?

WL-Estamos trabalhando desde 2010. Um ano e seis meses depois, entrou um consórcio chamado PRI-Sólido (contratado pelo Dnit para fiscalizar as obras), que não tinha conhecimento de nada, e começou a encontrar ‘pelo em ovo’.  O Dnit não é fiscal de obra. Tem que, no máximo, fiscalizar o convênio. Não as minhas obras!

AC-E os portos de convênios de 2005, como estão?

WL- Tabatinga, Manacapuru, Coari e Itacoatiara, esses quatro eu entreguei para operar, mesmo não tendo terminado. A população, os prefeitos estavam pressionando.

AC- Quando ainda ministro, o senador Alfredo Nascimento (PR) disse que estava arrependido de ter passado para o Estado a construção dos portos. O que a senhora diz?

EL- Ele (Alfredo Nascimento) devia se arrepender das coisas feias que ele fez lá no Ministério dos Transportes, motivo pelo qual ele caiu.