Publicidade
Manaus
Manaus

Segunda etapa de obras da Ponta Negra tem ritmo lento no AM

Obra do complexo da praia previa calçadão, mirante e terminal. A torre que recebeu um dos maiores destaques da prefeitura no projeto terá altura superior a todos os prédios da Ponta Negra, mas  ainda não saiu do chão 05/10/2012 às 07:17
Show 1
Tapume avança sobre uma parte da pista e protege a obra da vista do povo
Florêncio Mesquita ---

A Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) garantiu nesta quinta-feira (04), que  entrega a segunda etapa da revitalização do complexo de lazer da Ponta Negra até o fim no ano, mas o ritmo lento no canteiro de obras sinaliza que o prazo é insuficiente. Ainda há muito a ser feito no local e os principais itens que constam no projeto não saíram do papel como a “torre mirante”, que será um prédio para  observação, e o terminal flutuante para barcos. 

A torre que recebeu um dos maiores destaques da prefeitura no projeto de revitalização terá altura superior a todos os prédios da Ponta Negra, mas  ainda não saiu do chão. Outros itens da segunda etapa como, por exemplo, restaurante, quadras esportivas e uma rotatória com chafariz que já deveriam estar prontos também estão pendentes.

A obra tinha previsão inicial de  ser entregue 100% concluída em setembro ao custo de R$ 57 milhões - R$ 29,5 milhões na primeira etapa e 27,5 milhões na segunda.  A nova etapa é feita pela  Mosaico Engenharia, Indústria e Comércio de Artefato de Concreto LTDA, que venceu concorrência feita em abril. Para a Seminf a obra está dentro do cronograma e pelo contrato deveria ficar pronta no fim deste mês.  No meio do caminho, contudo, a empresa ganhou mais seis meses, prazo que encerra em dezembro.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).