Publicidade
Manaus
Manaus

Seis dos noves candidatos a prefeito de Manaus buscam votos na redes sociais

Em meio às caminhadas na terra dura e às reuniões presenciais, seis dos nove candidatos à Prefeitura de Manaus fazem viagens exploratórias nas redes sociais para discutir propostas, ouvir de tudo e conquistar votos 29/07/2012 às 13:22
Show 1
Candidatos 'mergulharam' nas redes para pedir votos
Lúcio Pinheiro Manaus

Enquanto a campanha no rádio e na televisão não começa, seis dos nove candidatos à Prefeitura de Manaus tentam se virar na Internet para atrair a atenção dos eleitores. Além de perfis nas redes sociais, os prefeituráveis têm aproveitado todo o espaço aberto a eles na rede mundial de computadores.

O mais novo “palanque virtual” visitado pelos candidatos é o site “manauara.org”, criado pela estudante do 5º período de Jornalismo da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Cynthia Blink. Pela Internet mesmo, a jovem resolveu convidar os candidatos para responder perguntas de internautas. Após algumas mensagens trocadas com os prefeituráveis, pronto, o compromisso estava fechado. E a casa deles abertas. As entrevistas são transmitidas das residências dos entrevistados.

Serafim Corrêa (PSB), Pauderney Avelino (DEM) e Artur Neto (PSDB) já foram sabatinados por leitores da estudante Jornalismo. Na terça-feira será a vez de Jerônimo Maranhão (PMN).  Todos serão convidados, garante Cynthia. “O bacana da Internet é que todos participam. Tem gente muito nova, de 13 anos, fazendo pergunta. E pessoas de outros países assistindo”, conta a estudante.

Entre uma caminhada e outra nas ruas de Manaus, os prefeituráveis participaram também de entrevistas promovidas pela RadioWeb VoxiFM e pelo site TrânsitoManaus. Eles respondem a perguntas de jornalistas e de internautas.

Vanessa Grazziotin (PCdoB), Henrique Oliveira (PR) e Sabino Castelo Branco (PTB), juntamente com Serafim, Pauderney e Artur, são os que mais têm se apropriado das redes sociais nessa fase da campanha. Pode até faltar interação, mas sobra exposição.

A página oficial de Artur no Facebook, que tem sido alimentada com imagens do candidato em caminhadas pela cidade, registra 2.720 “amigos”. Mas a interação dos internautas tem sido muito mais com a assessoria do que com o candidato. O mesmo acontece no Twitter.

Também com contas no Facebook e no Twitter, Pauderney Avelino registra diariamente as ações de campanha dele nas redes sociais. Mas mostra esforço para dividir com a assessoria dele a tarefa de interagir pessoalmente com os “amigos” e “seguidores”.

Serafim, além do Twitter e Facebook, mantém na Internet um Blog, onde opina sobre os problemas da cidade e, recentemente, passou a servir para registrar os passos de campanha dele. No Twitter, o candidato alterna com a assessoria dele as respostas aos comentários dirigidos aos “seguidores”.

Os perfis de Vanessa no Facebook e no Twitter seguem a mesma dinâmica das contas dos adversários dela nestas eleições. Algumas intervenções da própria candidata, e muita publicação dos assessores. A cada movimento da candidata, um informe novo é postado. O mesmo acontece com Henrique Oliveira e Sabino Castelo Branco.

Descrença na influência da Internet

Dos nove candidatos a prefeito de Manaus, apenas Herbert Amazonas (PSTU), Jerônimo Maranhão (PMN) e Luiz Navarro (PCB), apesar de possuírem perfis em redes sociais, pouco têm usado a Internet como ferramenta de campanha.

Maranhão acha limitado o alcance da Web. Mas disse que talvez crie, “do meio para o fim da campanha”, uma conta no Facebook. Twitter nem pensar, diz o prefeiturável. “Não vou enganar as pessoas. Como vão saber que sou eu que estou respondendo?”, indaga o candidato.

Navarro tem Twitter, Facebook  e Blog. Mas é outro que não superestima muito o poder da Internet em uma campanha. “A Internet ajuda, mas não é fundamental. A melhor forma de se aproximar do eleitor é ter credibilidade no que se fala”, avalia o candidato comunista.

Herbert disse que prepara um Blog para expor suas propostas. A última manifestação dele no Twitter foi em janeiro deste ano. “‘Vejo muita brincadeira nas redes sociais que não acrescenta nada à democracia”, comenta.

Campanha virtual  

Faltam 23 dias para começar a propaganda eleitoral no rádio e na televisão. Enquanto esse dia não chega, os candidatos a prefeito de Manaus usam as ferramentas da Internet como principal canal para fazer aparecer as ideias e ações de campanha deles.

Segundo o calendário eleitoral deste ano, a campanha no rádio e na televisão só deve iniciar no dia 21 de agosto, 47 dias antes das eleições.

“O acesso às mídias se democratizou”

Gilson Vieira Monteiro, professor e coordenador do programa de Mídias Digitais da Universidade Federal do Amazonas.

As mídias digitais têm o poder de quebrar o monopólio das grandes empresas de comunicação. Sabíamos que a Internet faria isso, o que eu chamo de varejo da informação. Isso explica a presença de candidatos participando de entrevistas e debates em outros espaços na Internet, sem ser necessariamente os comandados pelas grandes empresas. Qualquer pessoa, até com um e-mail, se comporta como uma empresa de comunicação. E os políticos são forçados a se aproximarem, porque o acesso a essas mídias se democratizou. Os celulares são produzidos já com aplicativo para acesso a Facebook e Twitter. É um fenômeno que não tem volta. A Internet é uma arena gigante. E o político não é besta. Não tem mais escândalo ou notícia errada que não seja comentada na Internet.