Publicidade
Manaus
Influenza A

Semsa investiga suspeita de H1N1 em morte de professora de 42 anos em Manaus

A professora morreu na quinta-feira (21) e estava internada desde segunda na área de isolamento do Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto. “Ela evoluiu muito rapidamente e agravou”, disse o secretário Municipal de Saúde 23/04/2016 às 14:22
Show 1007209
O atestado de óbito foi fechado com pneumonia e a confirmação só será feita após resultado de exame do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen)
Vinicius Leal Manaus

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) está investigando a morte de uma professora de 42 anos em Manaus por suspeita de óbito por vírus Influenza tipo A, subtipo H1N1. A professora morreu na quinta-feira (21) e estava internada desde segunda-feira na área de isolamento do Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto.

Segundo o secretário Municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão, a professora foi diagnosticada com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), doença onde o paciente tem febre alta, dificuldade respiratória, tosse, dores no corpo, entre outros. O atestado de óbito foi fechado com pneumonia como causa da morte.

“Era uma mulher jovem, de 42 anos, hígida e sem doenças paralelas. Ela evoluiu muito rapidamente e agravou”, comentou Miranda Leão. Segundo ele, várias são as causas de SRAG, incluindo o vírus Influenza tipo A, podendo ser o subtipo H1N1.

Segundo o secretário, o óbito por H1N1 só será confirmado após resultado de exame feito pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), o que deve sair em uma semana. “Só podemos confirmar após exame laboratorial específico, que aqui em Manaus é feito pelo Lacen do Estado”.

“Estamos investigado todas as hipóteses, porque a sintomatologia é muito semelhante e precisamos aguardar o laboratório. Nossos técnicos da Vigilância Epidemiológica estão acompanhando o caso desde quarta-feira e faremos palestras aos pais dos alunos na segunda feira para tranquiliza-los”, ressaltou o secretário.

Mortes por H1N1

Até o momento, duas mortes por H1N1 foram confirmadas pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), órgão vinculado à Secretaria de Estado em Saúde (Susam). O primeiro caso do ano, considerado local, ocorreu em fevereiro, teve como vítima um homem de 46 anos. Na primeira semana de abril, a doença vitimou um homem vindo do Rio de Janeiro, caso considerado importado.

Casos em tratamento

Na segunda-feira (18), a FVS confirmou mais três casos novos de H1N1 em Manaus, passando ao total de cinco casos da doença em tratamento. As confirmações partiram após resultados de exames realizados pelo Lacen.

Campanha

No dia 30 de abril inicia em todo o País a campanha de vacinação contra a Influenza A H1N1, que segue até dia 20 de maio. Em Manaus, a vacina será oferecida nas Unidades Básica de Saúde (UBSs) e também nos Centros de Atenção Integral à Criança e à Melhor Idade (CAICs e CAIMIs). No interior do Estado, será disponibilizada em todos os postos de atenção básica, de acordo com a Secretária Estadual de Saúde (Susam).

Os grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde para receber a proteção contra a gripe incluem crianças com até cinco anos incompletos, idosos a partir de 65 anos, grávidas, profissionais da saúde e do sistema prisional, presidiários e mulheres com até 45 dias após o parto, além de pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais.