Publicidade
Manaus
Manaus

Serviços para embelezar defuntos oferece boa aparência após a morte

Serviço para embelezar defuntos, a praxitanatologia oferece tudo para que o ente querido tenha um enterro digno  04/03/2012 às 11:12
Show 1
A enfermeira Baby Gomes Veiga, 42, que criou um laboratório especialmente para desenvolver a praxitanatologia
Jornal A Crítica Manaus

Há alguns anos as famílias se preocupavam apenas em dar um enterro digno aos seus mortos, com velório e sepultamento. Hoje, há quem vá muito além disso, e ninguém mais precisa ser enterrado com aparência tão cadavérica. Em Manaus, há empresas que prestam serviços de salão de beleza para defuntos, com direito a manicure, pedicure, corte de cabelo, tintura, maquilagem, embalsamamento e tudo o mais que os familiares do morto possam imaginar para deixá-lo com uma boa aparência na hora do velório e enterro.

Esse serviço, chamado de praxitanatologia, oferece, por exemplo, um maior cuidado ao ente querido começando pela assepsia do cadáver - que é o  banho e a limpeza em geral, a necromaquiagem, corte e pintura do cabelo, manicure e até  reconstrução facial. Tudo isso pode parecer estranho para muitos, mas não para a enfermeira  Baby Gomes Veiga, 42, que é proprietária de um laboratório que oferece o serviço.

Por conta de uma glande procura decidiu abrir um laboratório de praxitanatologia denominado Egípcia, localizado no conjunto Ribeiro Júnior, Zona Norte, especializado em tratamento de cadáveres.

Ela ressalta que o serviço já e bastante procurado em Manaus, inclusive com alguns deles oferecidos por algumas funerárias. Baby informa que o preço dos serviços que o laboratório oferece é muito inferior aos oferecidos no mercado. Pela pintura e corte de cabelo é cobrado R$ 50, manicure R$ 20, maquiagem sai por R$ 150.

Para ela, o uso da praxitanatologia é uma forma de amenizar o sofrimento, e muitas vezes satisfazer a vaidade dos familiares do morto.

O estabelecimento está funcionando há duas semanas e oferece todo tipo de serviço solicitado pela clientela. Para Baby o laboratório é uma espécie de salão de beleza para mortos. “O nosso objetivo é dar ao cadáver uma aparência bem próxima de quando a pessoa em vida”.

A empresária diz que há familiares que justificam a despesa com os serviços dizendo que, quando em vida, o morto era vaidoso e não gostaria de ser visto desarrumado e com uma aparência feia. Ela própria faz o serviço de embelezamento; já o de reconstituição e embalsamamento tem o serviço de outros técnicos. Segundo Baby, o laboratório recebe os corpos em diversos estados: há aqueles que  vêm do hospital onde ficaram internados muito tempo no hospital, e nesse período o cabelo e as unhas crescem e ficam debilitados. Nessa situação, a família solicita um tratamento que inclui desde a pintura dos cabelos e penteado, à depilação facial, maquiagem e manicure.

O trabalho mais complicado é quando o corpo, na maioria das vezes vítima de acidente de trânsito, chega com o rosto desfigurado. Aí, a família solicita que seja feita a reconstrução de forma que fique semelhante ao que era antes. Segundo Baby, nessa situação é solicitada uma fotografia do morto e através do uso de técnicas e produtos especiais é possível a reconstrução.

No laboratório é realizado o embalsamamento dos corpos de acordo com o tempo que a família precisa ficar velando (inclusive para viagem). Depois de sepultado, a decomposição ocorre naturalmente.