Publicidade
Manaus
Manaus

Sete homicídios marcam o fim de semana em Manaus nas Zonas Norte e Leste

Entre as vítimas estava um menino de 10 anos, atingido com dois disparos no tórax por traficante conhecido como ‘Cruz’ 22/02/2012 às 09:00
Show 1
Arma utilizada no crime que resultou na morte de dois jovens na Zona Norte de Manaus
Jornal A Crítica Manaus (AM)

Somente em dois dias do feriado prolongado de Carnaval, quatro  homicídios ocorreram nas zonas Norte e Leste de Manaus. Entre as vítimas estavam um menino de 10 anos, um traficante e dois adolescentes de 16 e 17 anos.

Na noite de sábado, por volta as 22h30, o camelô Arnaldo Colares de Souza, 36, conhecido como “Cuca”, foi assassinado na rua 28 de Agosto, no bairro Jorge Teixeira, Zona Leste.

De acordo com moradores, ele tinha envolvimento com tráfico de drogas e foi vítima de um possível acerto de contas. A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) informou que o suspeito do crime, conhecido apenas como “Cruz”, está foragido.

Antes de fugir, “Cruz” assassinou o menino Francisco Sales Ferreira de Castro, 10, porque  ele teria testemunhado a  execução do camelô enquanto jogava futebol com os amigos. Francisco  chegou a ser socorrido pelo pai, mas morreu  ao dar entrada no hospital Platão Araújo.

Outro duplo homicídio ocorreu na madrugada de domingo, 19, em frente à casa de shows “Planeta Talismã”, na avenida Max Teixeira, bairro Cidade Nova, Zona Norte da cidade.

O pintor Josicledo dos Santo Silva, 22, atirou com um revólver calibre 38 contra os adolescentes Arelbo Evereste da Silveira Ferraço, 17, e Mário Feitosa Oliveira, 16, depois de uma discussão dentro da casa de shows.

Josicledo foi preso em flagrante por policiais do programa “Ronda no Bairro” que estão atuando na Zona Norte da cidade, e encaminhado para o 12º Distrito Integrado de Polícia (12º DIP), no bairro Parque das Laranjeiras, Zona Centro-Sul.

De acordo com o delegado plantonista Hipólito Menezes, em depoimento Josicledo confessou que matou Arelbo e Mário depois de uma discussão provocada pelos adolescentes. O pintor relatou que estava no camarote da casa de shows quando deixou derramar whisky em algumas pessoas que estavam próximas, entre elas os dois rapazes.

Após discutirem, o pintor e os dois adolescentes foram expulsos da casa de shows pelos seguranças do local. Em seguida, Jocicledo foi buscar o revólver que havia escondido num matagal próximo ao local da festa e quando voltou, efetuou os disparos contra os rapazes.

Arelbo foi atingido por dois tiros e Mário foi atingido nas costas com um tiro. O crime também será investigado pela Delegacia de Homicídios.