Publicidade
Manaus
Manaus

Setores do varejo local atraem olhares da economia nacional

O assunto foi abordado na palestra “Cenário e Perspectiva do Varejo para 2013”, ministrada nesta quinta-feira (21) pelo empresário e economista Jaime Benchimol, na Câmara dos Dirigentes Lojistas de Manaus (CDL-Manaus) 22/03/2013 às 10:30
Show 1
Jaime Bechimol em palestra a empresários
Cinthia Guimarães ---

Responsável por mais de 60% da arrecadação do Amazonas em 2012, os setores do comércio e serviços pela primeira vez bateram a imponência da indústria, se tornando estratégicos para economia nacional. O impacto foi puxado pela demanda de consumo e pelo crescente poder aquisitivo do brasileiro.

O assunto foi abordado na palestra “Cenário e Perspectiva do Varejo para 2013”, ministrada nesta quinta-feira (21) pelo empresário e economista Jaime Benchimol, na Câmara dos Dirigentes Lojistas de Manaus (CDL-Manaus). Benchimol é presidente da Bemol, o maior grupo do comércio varejista do Amazonas, que conta com 18 lojas em cinco Estados da Região Norte e emprega 3 mil funcionários.

Jaime Benchimol explicou para a plateia de empresários e lojistas que apesar da economia brasileira ter crescido menos de 1% e os primeiros indicadores do ano mostrarem que estamos caminhando a passos lentos, o segmento em questão só tende a crescer. As vendas no varejo em janeiro subiram 7,1% em relação a janeiro de 2012, porém a inadimplência está 11% maior que o mesmo período analisado e o índice de confiança do consumidor está mais baixo do que o ano passado. “Os dados ainda são confusos e iniciais. Mas mostram que ou teremos um ano igual a 2012 ou melhor”.

Prova disso, segundo ele, são os indicadores que destacam o potencial brasileiro de consumo para os próximos 10 anos. Atualmente, o Brasil está em primeiro lugar como o maior mercado consumidor de perfumes; além de ser o quarto maior em veículos; o quinto em vestuários; o quarto em aviação; o quarto em motocicletas; o terceiro em computadores; e o terceiro maior consumidor de geladeiras.

Benchimol ponderou que o País precisa continuar investindo em infraestrutura e desonerações tributárias para reverter o quadro de apatia e crescer economicamente em um ritmo mais acelerado, em compasso com outros países da América Latina, tais como México, Chile, Colômbia e Peru, além da China. “A produtividade determina a renda e a riqueza das nações”, disse ele.

Outro ponto destacado por Benchimol é que as empresas precisa investir mais em mídias digitais, compras pela Internet, relacionamento com o consumidor e mão de obra qualificada.

A palestra de Jaime Benchimol acontece todos os anos no mês de março.

Arrecadação

O comércio e os serviços têm sustentado a arrecadação, que cresceu 10% de 2011 para 2012. Só o comércio foi responsável por repassar R$ 2,919 bilhões aos cofres do fisco estadual em impostos e contribuições, e os serviços mais R$ 737,5 milhões. Já a indústria repassou R$ 2,961 milhões, menos que os anos anteriores, uma vez que perdeu produtividade e receita em função da crise no polo de duas rodas e das desonerações tributárias promovidas ao setor pelos governos estadual e federal.