Publicidade
Manaus
Cotidiano,Saúde,denúncia,Aborto, Semsa

Sindicância absolve médico suspeito de praticar abortos, em Manaus

Inquérito administrativo realizado pela Semsa concluiu que acusações contra o ginecologista Antônio Cabede não tinham materialidade    28/04/2012 às 08:45
Show 1
Em depoimento os servidores da maternidade afirmaram desconhecer a prática de abortos realizados pelo médico
Maria Derzi Manaus

Mesmo após ter sido flagrado pela reportagem da TV A Crítica, admitindo a prática de aborto, o médico Antônio Cabede Lopes, ginecologista da maternidade municipal Moura Tapajoz, localizada no bairro Compensa, Zona Oeste de Manaus, foi absolvido na sindicância realizada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) por falta de provas.

Em nota, a Semsa informou que “não encontrou prova cabal de que o médico atendia, na maternidade, pacientes oriundas de processo de aborto realizado pelo mesmo, razão pela qual, ante a ausência de materialidade e em obediência aos princípios que norteiam a presunção de inocência, o entendimento, no âmbito administrativo, é de que o médico não realiza procedimentos de aborto”.

Na nota, a Semsa explica que as denúncias baseadas em investigação realizada pela TV A Crítica e divulgadas no jornal impresso, ambos da Rede Calderaro de Comunicação (RCC), foram incluídas no processo.

As denúncias dão conta de que Antônio Cabede atendia, na maternidade, pacientes que realizam o procedimento de aborto em sua clínica particular.

Segundo a Semsa foram tomados os depoimentos de todos os envolvidos no caso e também de servidores da Maternidade Moura Tapajoz, inclusive com a apresentação da documentação referente aos atendimentos do médico.

Ainda segundo a nota da Semsa, em nenhum depoimento foi constatado de que os servidores tinham conhecimento sobre prática de abordo dentro da maternidade.