Publicidade
Manaus
Manaus

Sistema de monitoramento de câmeras da SSP será interligado à vigilância particular

Parceria firmada entre o Ciops e empresas de monitoramento de segurança selam parceria para acabar com a criminalidade em Manaus 07/10/2015 às 11:04
Show 1
Medida é inédita no País e vista coibir crimes praticados em vias públicas
JOANA QUEIROZ Manaus

Manaus é a primeira capital brasileira onde o sistema de monitoramento de segurança pública está interligado com o sistema de câmeras privadas, conforme anunciou, ontem, o secretário de Segurança Pública Sérgio Fontes.

Fontes afirmou isso após assinar com o Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Amazonas (Sindesp) o primeiro acordo de cooperação que integra novos sistemas de monitoramento de câmeras voltados para espaços públicos ao Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops).

De acordo com Fontes, as expectativas é que nesse primeiro momento o número de câmeras existentes hoje é de 262  e posteriormente chegue a 500. “Claro que vai depende de uma adequação de tecnologia, mas quando todas estiverem funcionando normalmente vamos dobrar a nossa capacidade de enxergar o que está acontecendo em Manaus”, disse o secretário. 

Desde ontem, algumas câmeras privadas eram usadas no monitoramento da cidade e outras ainda seriam adequadas à tecnologia do Ciops. O secretário explicou que as câmeras são voltadas exclusivamente para espaços públicos como ruas, passeios, parques e estacionamentos e que ambientes internos não serão monitorados.

A medida é inédita no País e tem a expectativa inicial de coibir crimes praticados em vias públicas.  “A câmera é uma grande inibidora de crimes, já que os bandidos em regra não atuam em áreas monitoradas porque sabem que podem ser identificados pela polícia”, disse.

O secretário anunciou que serão feitos novos investimentos na aquisição de novas câmeras, já que a maioria monitorada pelo Ciops é de 2004 e estão ultrapassadas.  Estás não possibilitam mais visualizar nem a placa de veículos, por isso serão substituídas por outras com tecnologia mais moderna com reconhecimento de imagem que permite captar a imagem de um carro e dizer se ele foi roubado ou furtado, se tem limitação judicial, se deve IPVA ou multa.

Sérgio Fontes conclamou outros segmentos da sociedade para participarem da segurança com informações, denúncias e até participando dos conselhos de segurança.

De acordo com ele, os empresários do sistema de monitoramento particular estão dando o exemplo iniciando uma nova era, não é possível fazer segurança pública só com polícia, mas com a participação da comunidade e dos empresários e projetos sociais isso é fundamental. Qualquer pessoa pode participar do acordo.

Parceria

O secretário de segurança pública, Sérgio Fontes,  informou  que para a firmação do acordo houve um chamamento público que foi publicado em Diário Oficial onde estão todas as condições que as pessoas precisam para vir para dentro do Ciops com a sua rede de monitoramento.

“A parceria do sistema de câmeras de vigilância entre o público com o privado está aberto para que todos tenham essa oportunidade”, disse. Podem participar as empresas particulares que fazem a maior parte de monitoramento da cidade.

Sérgio Fontes acredita que depois desse acordo a segurança vigiada vai abranger toda cidade e com isso diminuir a criminalidade.

Vantagem para Ciops e empresas

O vice-presidente do Sindesp, Nonato Caldera, declarou que o acordo entre as empresas privadas e o Ciops é uma vantagem.  No primeiro momento 25 empresas estão agregadas a essa propostas. Elas  atendem o comércio, a empresas de transportes de valores e condomínios.

“Nós sempre nos ressentimos de um pronto atendimento, sabemos da limitação da segurança pública e com a inserção das nossas empresas aqui dentro do Ciops esse atendimento vai ser mais rápido, passaremos a ter um pronto de atendimento dentro da linha de prioridade a ser dada na segurança. Clientes terão respostas mais rápidas”, disse.

De acordo com Caldeira a proposta é dobrar o numero de câmeras que o Ciops tem.