Publicidade
Manaus
SELF CHECKOUT

Comerciantes de Manaus aderem sistema em que cliente registra a própria compra

A possibilidade de fugir das extensas filas é uma das principais justificativas de quem adere o "self checkou". O modelo de autoatendimento é comum nos EUA e na Europa 21/01/2018 às 13:53 - Atualizado em 21/01/2018 às 14:45
Show patio
O DB Express possui sete unidades de autoatendimento, aceita todos os cartões de crédito ou débito e dinheiro. Foto: Winnetou Almeida
Larissa Cavalcante Manaus (AM)

Comum nos Estados Unidos e em países europeus, o modelo de autoatendimento chamado de self checkout, caixas em que o próprio cliente registra e paga as suas compra, está ganhando espaço no Brasil e, aos poucos, em Manaus. Estabelecimentos comerciais locais aderem aos equipamentos de automação para facilitar e diversificar o atendimento ao cliente, prática que pode ser benéfica tanto para o consumidor quanto para o empresário.

A praticidade, o custo operacional competitivo, o fator modernidade e a possibilidade de fugir das extensas filas das lojas são as principais justificativas de quem adere ao uso do self checkout.

O supermercado Pátio Gourmet, localizado no bairro Chapada, é pioneiro na cidade em oferecer a opção de pagamento por meio de uma estação de autoatendimento.

“O self checkout está dentro da proposta do Pátio em prezar pela qualidade e praticidade. Foi pensando com a preocupação de tornar o ato de pagar um momento mais prático e torna-se um diferencial para o supermercado. No momento só temos um caixa, mas a empresa planeja novos investimentos em estações visando satisfazer o cliente e atender a essa rotina corrida do amazonense”, explicou a coordenadora de atendimento ao cliente da empresa, Fabiana Cavalcante. A tecnologia está presente desde 2015.

De acordo com Cavalcante, o investimento em self checkout é alto e o retorno dos clientes sobre a solução tem sido positivo. “É uma tecnologia muito comum nos Estados Unidos e os clientes elogiam, falam que é diferente e, muitas vezes, a curiosidade e a praticidade levam ao uso. O público que utiliza a estação é diversificado. Quem não conhece quer viver a experiência e para quem tem dúvidas temos a disposição funcionários para auxiliar e contribuir no atendimento”, disse.

Para a publicitária e jornalista Thiciane Gurgel, que já utilizou a tecnologia em diferentes cidades, a experiência foi considerada positiva, pela facilidade do processo. “É similar ao de compra de ticket do cinema em totens e é possível realizar tudo sozinha. A máquina é autoexplicativa, o que torna ainda mais fácil a compra”, contou.

Shoppings aderem

Com um sistema inteligente de estacionamento, o Manauara Shopping foi um dos pioneiros na cidade a possuir terminais para pagamento de tickets do estacionamento.

O Amazonas Shopping instalou em dezembro de 2017 quatro estações para pagamento de estacionamento. Segundo o gerente de Marketing do centro de compras, André Santi, investir em tecnologia é essencial para melhorar a experiência do cliente no shopping. As estações são uma forma complementar de pagamento eletrônico. A vantagem desse tipo de serviço é que o cliente tem a opção de escolher a forma mais cômoda para resolver questões do dia a dia como pagar o estacionamento.

As varejistas Bemol e Riachuelo também possuem um sistema com estações individuais de pagamento, como forma complementar ao atendimento, e visando melhorar a experiência do cliente dentro do estabelecimento.

Crescimento no comércio

Para o empresário, Marcos Lopes, Ceo da Solutions Tecnologia, empresa que atua desde de 2016 com automação comercial, todo o mercado se beneficia com o sistema de self checkout. Além da diminuição nas filas, ele ressaltou a possibilidade de redução de custos, oriundo com a instalação dessa tecnologia, que pode ser repassado e abatido no custo final dos produtos e serviços.

“Hoje mesmo com caixas rápidos se vê muitas filas nos supermercados de Manaus então a tendência é o investimento em self checkout para reduzir as filas e aumentar o movimento desses comércios. Até o final do ano estaremos trazendo novidades em soluções para este segmento”, ponderou.

Busca rápida

O cardápio eletrônico é o próximo nível da automação de atendimento para restaurantes. Ele assume o lugar dos menus impressos permitindo que os clientes façam o pedido a partir de um tablet ou smartphone.O garçom apenas traz o prato à mesa. As vantagens ficam por conta da agilização no atendimento e da diminuição dos erros nos pedidos.

Vantagens por conta do PIM

De acordo com o professor do CEL Literatus Cleuton Coelho, a partir da década de 90 a automação ficou mais acessível para o comércio e residências por conta da disseminação da informática e da internet.

“A absorção no comércio foi nos mesmos moldes da indústria para diminuir mão de obra e processos. As pessoas não veem esses processos de autoatendimento com estranheza, porque já fazem através dos smartphones com muita frequência”, afirmou o engenheiro de controle e automação.

O  engenheiro destacou que a automação facilita o cotidiano do usuário e em contrapartida é preciso ceder dados dos quais não há como ter o controle. Ele frisou que a redução dos postos de trabalho não é de imediato demandando profissionais especializados. E a região apresenta vantagem mercadológica por conta do Polo Industrial de Manaus (PIM).

“A proximidade com a tecnologia de ponta é por conta das multinacionais instaladas no PIM. Elas facilitam esse acesso e a popularização desses sistemas”, disse.

BLOG: Thiciane Gurgel - Jornalista e publicitária

“A solução é muito interessante, principalmente, quando estamos com pressa e é possível ir automaticamente na máquina de self checkout. É o mesmo procedimento que já tem nos cinemas e a praticidade hoje em dia é muito bom pra gente. Já tinha passado por essa experiência em Fortaleza e agora em Manaus. Além da praticidade, a diminuição no tempo de espera em filas leva os consumidores a utilizar a máquina. Tornando a solução mais eficaz do que os caixas rápidos. Pensando em compras com poucos itens a proposta é ser uma experiência rápida mesmo”.

Saiba mais

Os equipamentos de automação comercial são compostos pela tecnologia TEF (Transferência Eletrônica de Fundos), onde o consumidor realiza suas transações financeiras por meio de um equipamento eletrônico composto por um monitor, teclado, pin pad (as maquininhas integradas para vendas em caixa), leitor de código de barra e outros. O processo tem sido cada vez mais comum no comércio

Publicidade
Publicidade