Publicidade
Manaus
Manaus

SMTU divulga nesta terça como ficará o trânsito no Centro de Manaus

A decisão foi tomada após a conclusão de um laudo elaborado por técnicos Seminf, garantindo a segurança da trafegabilidade das ruas interditadas 31/07/2012 às 08:03
Show 1
Robério Braga diz que situação da praça Heliodoro Balbi vai piorar e, por isso, proporá que ela seja devolvida a prefeitura
Ana celia ossame Manaus (AM)

A Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) vai divulgar, numa coletiva à imprensa nesta terça-feira (31) pela manhã, a nova rota dos ônibus na área central de Manaus, cujas ruas interditadas devido a enchente recorde deste ano também serão liberadas.

A decisão foi tomada após a conclusão de um laudo elaborado por técnicos da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), garantindo a segurança da trafegabilidade das ruas interditadas. A reabertura das vias, que vai ocorrer a partir hoje, havia sido solicitada pela Associação Comercial do Amazonas (ACA), alegando enormes prejuízos ao comércio de Manaus concentrado naquelas vias.

Os técnicos da Seminf, de acordo com o órgão, inspecionaram diversos pontos do Centro de Manaus verificando a integridade do local para receber o trânsito. Um dos testes foi feito com uma caçamba pesando 18 toneladas percorrendo a rua Marquês de Santa Cruz, ao lado do Terminal da Matriz, no Centro, onde engenheiros buscaram visualizar qualquer anormalidade, como afundamentos ou rachaduras, mas nenhum problema foi detectado.

Interdições

A primeira rua que sofreu interdição por conta da enchente foi dos Barés, no trecho situado na esquina com a av. Joaquim Nabuco, no dia 25 de  abril passado. A Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) interditou, em 14 de maio, o trecho da avenida Eduardo Ribeiro, entre a avenida Sete de Setembro e rua Marquês de Santa  Cruz. Em 18 do mesmo mês foi proibido o acesso ao Terminal Central da Praça da Matriz fica com trânsito proibido para veículos de passeio, ficando permitido somente para veículos de transporte coletivo.

A reabertura das vias  agradou a ACA, que lamentou a queda no volume de vendas, que chegou 90% segundo a última estatística feita pela entidade representativa dos comerciantes.