Publicidade
Manaus
Polícia, Ameaças, Polícia Militar, Ronda no Bairro, Tráfico de Drogas, Segurança Pública, coronel Paulo Roberto Vital

Soldado da PM tem casa invadida por traficantes na Zona Centro-Sul de Manaus

Militar só não foi morto porque estava fora de casa. Ameaças recebidas por ele, feitas por traficantes, no último mês de agosto, já haviam sido levadas ao conhecimento de seu superior   02/09/2012 às 22:06
Show 1
Há duas semanas militar havia denunciado as ameaças sofridas por traficantes
Síntia Maciel Manaus

Menos de duas semanas após ter registrado um Boletim de Ocorrências (BO) no 16º Distrito Integrado de Polícia, no bairro Aleixo, Zona Centro-Sul de Manaus, para relatar as ameaças de mortes feitas por um grupo de traficantes, um soldado da Polícia Militar, identificado apenas pelas iniciais JM, 26, teve a casa invadida, no beco São José, também no Aleixo, na madrugada de domingo(2),  por dois homens armados e encapuzados, que estiveram no local para tentar assassiná-lo.

Na ocasião, apenas a esposa do militar – que preferiu não se identificar por temer represálias - se encontrava na residência, e foi agredida com alguns tapas no rosto.

"Felizmente ele não estava em casa. Estamos temerosos com o que pode vir a acontecer agora, pois meu irmão e minha cunhada não tem para onde ir", desabafa um irmão de JM, que também é militar, mas preferiu não se identificar.

Segundo ele, a dupla entrou na casa, após arrebentar a porta da frente do imóvel com um ponta-pé. Dentro da residência os dois encapuzados passaram a perguntar onde estava JM. Diante da informação negativa de que ele não se encontrava no lugar, a dupla agrediu a companheira do soldado, além de afirmar que voltariam em uma outra oportunidade para assassiná-lo.

As ameaças contra JM, lotado na 16ª Companhia Interativa Comunitária (16ª Cicom) foram se intensificando, segundo o irmão, após o programa "Ronda nos Bairro", passar a funcionar na área em que o militar mora e também trabalha.

"Ele comunicou o caso aos superiores dele. Pediu, inclusive, transferência para outro lugar. Duas semanas se passaram e o que aconteceu foi isso", revela. Ainda segundo ele, outro militar que mora no beco São José também estaria sendo alvo de ameaças de traficantes.

Bastante nervosa pelo que aconteceu na madrugada deste domingo, a companheira do militar ameaçado limitou-se a confirmar a invasão e a agressão sofrida.

Na tarde deste domingo, dois militares estavam no local resguardando o imóvel e familiares de JM, que se encontravam no lugar. O soldado estaria de plantão.   

Represálias
"Enquanto eu for secretário de Segurança Pública, não irei tolerar este tipo de coisa. É inadmissível que os traficantes passem a intimidar um policial, seja ele civil ou militar, só porque estamos acabando com os negócios dele", declara o secretário de Estado de Segurança Pública, coronel Paulo Roberto Vital.

Indagado a respeito da invasão ocorrida contra a residência do soldado JM, o secretário de Segurança Pública disse desconhecer o caso, mas salientou que todos os policiais do Sistema de Segurança Pública irão receber o apoio necessário, em ocorrências semelhantes.

Ainda de acordo com ele, os comandantes das Cicons, assim como os praças, estão instruídos em como proceder em casos como o do soldado JM.

'Preço'
Ameaças a policiais militares que tentam combater as áreas de tráfico em Manaus já estão se tornando uma prática rotineira.

Em maio deste ano, um grupo de traficantes estaria oferecendo a quantia de R$ 10 mil pela morte do cabo Monteiro Filho, que, na ocasião, atuava no Ronda no Bairro, no João Paulo 2, Zona Leste de Manaus.