Publicidade
Manaus
Manaus

Suframa tem mais de 60% dos recursos contingenciados em 2012

O superintendente da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), Thomaz Nogueira, revelou, durante reunião da Fieam, que do total de R$ 514 milhões destinados à Suframa em 2012, R$ 309 milhões já estão contingenciados pelo Governo Federal 09/02/2012 às 21:42
Show 1
Superintendente se diz preocupado com corte de mais de 60% do orçamento em 2012
Charles Fernandes Manaus

O superintendente da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), Thomaz Nogueira, revelou, durante reunião da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), que do total de R$ 514 milhões destinados à Suframa em 2012, R$ 309 milhões já estão contingenciados pelo Governo Federal.

De acordo com o superintendente, mais de 60% do orçamento destinado à Suframa para este ano já estão contingenciados e não vão poder ser utilizados em prol de convênios e projetos para o fortalecimento do Polo Industrial de Manaus (PIM). “Isso deve ser um questionamento contínuo da sociedade, porque na verdade são recursos aqui gerados e que não retornam para a sociedade. Impactam a competitividade e a gente não consegue fazer os investimentos”, lamentou. Thomaz disse que apesar das dificuldades considera positiva a tentativa de um diálogo com o Governo Federal para resolver a questão. “Estou extremamente otimista de alguns entendimentos da utilização dos recursos para obras de infraestrutura. Isso não caiu do céu, mas é fruto que a sociedade faz desse mecanismo do contingenciamento”, afirmou.

O valor contingenciado foi o principal assunto abordado durante a primeira reunião realizada pela Fieam nesta quinta-feira (10).

A reunião contou com a participação do vice-governador José Melo (PMDB) e vários empresários das indústrias. Durante o encontro, o presidente da Federação das Indústrias do Amazonas, Antônio Silva destacou também o aumento do faturamento do PIM de R$ 40 bilhões em 2011e a manutenção de mais de 128 mil empregos no Distrito Industrial.  Ainda na reunião, os empresários criticaram as constantes mudanças na legislação federal com propósito de atacar a Zona Franca de Manaus (ZFM), como a MP dos Tablets e a PEC da Música. Os empresários se comprometeram em apoiar as ações do Estado nos diálogos com o Governo Federal.

O encontro foi realizado com o objetivo de fazer um balanço dos resultados da indústria amazonense obtidos em 2011 e as projeções para 2012.