Publicidade
Manaus
Política, Eleições Municipais 2012, Polícia Federal, Resolução nº 23.376, TSE, PTN, Arnaldo Mitouso, Sabrina Cumba Ferreira, Coari

Superintendente da PF sai em defesa de delegado que apreendeu dinheiro em Coari (AM)

O Superintendente da Polícia Federal do Amazonas, Sérgio Fontes saiu em defesa do delegado federal Domingos Sávio e afirmou que “não houve desobediência" em relação à decisão da juíza eleitoral de Coari, Sabrina Cumba Ferreira 16/10/2012 às 18:51
Show 1
Superintendente da Polícia Federal no Amazonas, Sérgio Fontes afirmou que não houve desobediência contra a ordem judicial
acritica.com Manaus

A Polícia Federa divulgou nesta terça-feira (16) uma nota oficial a respeito da polêmica envolvendo a apreensão da quantia de R$ 479.750, da Coligação “Com a Força do Povo“,  às vésperas das eleições, no município de Coari (a 370 quilômetros de Manaus), pelo delegado Domingos Sávio Pinzon e a decisão da juíza eleitoral da 8ª zona eleitoral de Coari, Sabrina Cumba Ferreira.

O documento além de conter explicações sobre o ocorrido, também defende a conduta adotada pelo delegado federal, que de acordo com o próprio, agiu conforme as determinações da resolução nº 23.376, do Tribunal Superior Eleitoral.

Procurado pelo acritica.com para falar sobre o assunto, o superintendente da Polícia Federal no Amazonas, delegado federal Sérgio Fontes afirmou que “não houve desobediência por parte do delegado Domingos Sávio”, em relação à decisão da magistrada.

Como o dinheiro foi apreendido na sexta-feira (5) à noite, no dia seguinte, sábado (6), um avião fretado pela Polícia Federal foi deslocado para Coari, para transportar a quantia em apreendida e a equipe de policiais que se encontravam na cidade, uma vez que os valores deveriam ser mantidos em segurança, e conforme a lei, depositados em uma agência bancária.

Entretanto, a decisão da magistrada – atendendo um Mandado de Segurança da coligação -, de que os valores deveriam ser devolvidos e que Domingos Sávio deveria prestar informações sobre o dinheiro só chegou ao conhecimento do delegado federal à noite.

“Não existiu desobediência. Quando a ordem da juíza chegou, no domingo (7) à noite, ele (Domingos Sávio) já se encontrava em Manaus, com o dinheiro em segurança, e também havia protocolado um ofício no Cartório Eleitoral de Coari, informando à magistrada as medidas por ele adotadas ", explica Sérgio Fontes.

O superintendente também salientou que os quase R$ 500 mil apreendidos se encontram depositado em uma conta da Caixa Econômica Federal, à disposição do juizado eleitoral de Coari, e que os mesmos podem ser requeridos pela coligação.

Prisão
Apesar das explicações prestadas desde a apreensão do dinheiro pelo delegado federal Domingos Sávio Pinzon, nessa segunda-feira (15), a coligação “Com a Força do Povo” deu entrada no pedido de prisão preventiva dele, sob a alegação de abuso de poder.

Procurado para falar sobre o assunto, o delegado limitou-se a informar que só irá se pronunciar sobre o caso por meio de notas emitidas pela Associação Nacional dos Delegados Federais (ADPF-AM).