Publicidade
Manaus
Manaus

Superintendente do Dnit-AM faz críticas ao governo do Estado

As obras que o Estado realiza no interior estão aquém daquelas feitas na capital. A informação é de Afonso Lins , superintendente do Dnit 26/01/2012 às 14:37
Show 1
‘A gente não pode aprovar o que não foi executado’ , disse Afonso Lins Jr
LÚCIO PINHEIRO Manaus

O superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura no Amazonas (Dnit-AM), Afonso Lins Jr, fez críticas ao Governo do Estado, e disse que obras executadas com recursos federais em portos hidroviários no interior do Amazonas não estariam sendo comprovadas. As informações foram dadas durante entrevista coletiva, na segunda-feira (24).

A seguir, trechos da entrevista:

AC-O senhor questiona serviços fora dos projetos executivos dos portos. E a Seinfra questiona a qualidade dos projetos aprovados pelo Dnit. Como resolver isso?

AL- Esses projetos, o Dnit aprovou, não houve nenhum questionamento (da Seinfra). A licitação (para as obras) foi feita pelo Governo do Estado, sem questionamentos. Os projetos estão corretos. O que está tendo é problema por parte de execução (das obras).

AC- O senhor pode dar exemplos desses problemas?

AL- O que eu posso te afiançar é o seguinte: nós temos uma supervisora que faz o acompanhamento de todas as obras. Tinha se apresentado coisas (obras, serviços). Imagino que seja por erro do próprio Governo do Estado, que tinha sido executada, e nós fomos verificar, não foram executados. E aí nós passamos para o Governo do Estado. E o próprio Governo do Estado achou que tinha sido executado. E não foi executado. Então, a gente não pode aprovar algo que não foi executado.

AC- Como é a relação do Dnit-AM com o Governo do Estado?

AL- Da nossa parte, sem problema. Agora o que a gente percebe é que, na verdade, as coisas que são direcionadas para o interior do Estado não são tratadas da mesma forma que as da capital. Não é porque é interior que a gente vai fazer uma coisa com qualidade aquém do que se faz na capital.

AC- O senhor avalia que o modelo de convênios com o Governo do Estado não funcionou? Eu diria que foi um bom aprendizado. Mas entendo que o Dnit tem todas as condições para executar essas obras de maneira célere como o Governo Federal deseja. Faltou vontade política do Governo do Estado para concluir essas obras no prazo?

AL- Acho que sim. Recurso não é problema. Nesses últimos 15 portos, foram passados R$ 200 milhões. Só temos prestação de R$ 41 milhões. Uma defasagem de quase R$ 160 milhões. Se não prestarem conta disso, infelizmente, vão ter que devolver esse dinheiro.