Publicidade
Manaus
Manaus

Supostos 'doadores' vão a Ministério Público denunciar prefeito eleito de Coari

Surpresos em ver os nomes na lista de doadores do prefeito Adail Pinheiro, José Antônio e Adriane Afonso afirmam não ter doado um centavo ao político 10/12/2012 às 08:25
Show 1
Além de ter o nome na lista dos ‘fichas sujas’, prefeito de Coari possui pendências no TCE e sentença condenatória do TRE-AM
Lúcio Pinheiro ---

Condenado em processos no Tribunal de Contas da União e do Estado (TCU e TCE), o prefeito eleito de Coari, Adail Pinheiro (PRP), é acusado agora de incluir na lista de doadores de campanha pessoas que afirmam nunca ter doado um centavo ao político. Surpresos em ver os nomes na lista de doadores de Adail, José Antônio Moreira Afonso e Adriane Silva Afonso, pai e filha, denunciaram o prefeito eleito ao Ministério Público Federal (MPF).

Na relação de financiadores de campanha apresentada por Adail à Justiça Eleitoral, consta que José Antônio e Adriane Silva doaram, cada um, R$ 30 mil em espécie ao prefeito eleito. No termo de declaração que fez no MPF, José Antônio, que é microempresário, afirma que “não fez nenhum depósito em espécie para a campanha do candidato”. O empresário é proprietário da empresa J. A. M. Afonso, em Coari.

Adriane Silva, filha de José Antônio, denunciou o prefeito eleito ao MPF no último dia 5. No termo de declaração, a microempresária também defende que não possui sequer vínculo de amizade com Adail.

“A declarante informa que não tem cabimento o nome de sua empresa constar como doadora da campanha de Adail”, diz trecho do termo de declaração de Adriane Silva. A microempresária é proprietária da empresa Adriana S. Afonso.

O 2º parágrafo do artigo 30 a da Lei das Eleições ( Lei nº 9.504/1997) afirma que, “comprovados captação ou gastos ilícitos de recursos, para fins eleitorais, será negado diploma ao candidato, ou cassado, se já houver sido outorgado”.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).