Publicidade
Manaus
Fcecon, falta de medicamento, cirurgias

Suspensão de cirurgia em Hospital do Câncer no Amazonas gera indignação

De acordo com familiares de pacientes em tratamento no FCecon, o problema da falta de medicamentos se estende  para toda a rede estadual e municipal de saúde 22/08/2012 às 12:30
Show 1
A assessoria de imprensa da FCecon informou por meio de nota que as cirurgias suspensas na última terça serão remarcadas ao longo desta semana
JOELMA MUNIZ Manaus

A falta do medicamento Fentanil, um indutor de anestesia, acarretou na suspensão de cirurgias marcadas no Hospital do Câncer do Amazonas (Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas - FCecon).

De acordo com familiares de pacientes em tratamento no FCecon, o problema da falta de medicamentos se estende para toda a rede estadual e municipal de saúde.

A situação deixou pacientes e familiares indignados. Conforme denunciou à reportagem do acritica.com o servidor público federal Pedro Augusto da Silva Ferreira, 45, sua irmã, que estava na lista de pacientes aptos à cirurgia nessa terça-feira (21), teve que retornar para casa sem uma resposta convincente por parte da diretoria do local.

"Eles não nos deram prazo para quando a cirurgia deve acontecer. Minha irmã tem câncer no colo do útero e desde que iniciou seu tratamento na Fcecon ela teve ao menos duas consultas adiadas. O adiamento da cirurgia é só uma parte da série de problemas que os pacientes enfrentam na Fundação", disse.

A assessoria de imprensa da FCecon informou, por meio de nota, que as cirurgias suspensas na última terça serão remarcadas ao longo desta semana.  

Falta em toda rede

O servidor ressaltou ainda que conseguiu conversar com um dos diretores do local, que teria lhe informado que o problema pela falta do medicamento não era culpa da Fcecon, e sim do laboratório responsável pela venda do medicamento.

"Ele nos disse que o laboratório não tinha repassado o anestésico para toda a rede estadual e municipal de saúde. E inclusive que eles teriam tentado emprestar o remédio da secretaria municipal de saúde (Semsa), mas, que eles também não possuíam o anestésico", relatou.

Outro lado

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) informou que adota o medicamento Fentanil (que tem como princípio ativo a Fentanila) em ampolas de 2 e 10 ml.

A Central de Medicamento de Manaus dispõe deste insumo em estoque suficiente para atender às necessidades da Maternidade Municipal Moura Tapajóz (única maternidade sob a responsabilidade do Poder Executivo Municipal).

A secretaria destaca que a aquisição deste insumo foi realizada ainda no primeiro semestre do ano, tendo sido a última remessa feita pelos fornecedores, no mês de junho.

Já a Secretaria de Estado da Saúde (Susam) também informou que na rede estadual de saúde não  há falta do medicamento Fentanil. A Central de Medicamentos do Amazonas (Cema) possui estoque do medicamento Fentanil, para abastecimento das unidades hospitalares que fazem uso dessa medicação por um período de dois meses.

A Susam também informa que a Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas é uma autarquia, tem autonomia administrativa-financeira e, portanto, deve comprar diretamente os insumos hospitalares e medicamentos utilizados no atendimento aos pacientes, e que se houver falta do medicamento, a responsabilidade é da própria unidade.

O secretário de Estado da saúde, Wilson Alecrim, lamenta o fato e o transtorno causado aos pacientes e informa que irá tomar as medidas administrativas cabíveis.