Publicidade
Manaus
Manaus

TCE alega que compra de máquina de café por R$ 7,3 mil vai gerar economia

Hoje, a corte de contas gasta, ao ano, R$ 76,8 mil com a compra de grãos de café que abastecem duas máquinas antigas 08/01/2013 às 16:41
Show 1
Tribunal de Contas do Amazonas
Ana Carolina Barbosa Manaus

A aquisição não de uma, mas de duas máquinas de café expresso de marca e modelo Saeco Idea Coffee, ao valor de R$ 7,3 mil cada – uma delas comprada em dezembro de 2012-, reduzirá de R$ 6,4 mil para R$ 192 (97%) o gasto do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM) com o item, uma vez que, atualmente, o quilo de grãos que abastecem duas máquinas antigas custa R$ 32 e, as novas, serão abastecidas por pó, cujo quilo é adquirido por R$ 6, informou a assessoria do órgão. Hoje, a corte de contas gasta R$ 76,8 mil por ano com grãos de café, cujo líquido produzido atende a cerca de mil pessoas ao mês.

A aquisição de uma das máquinas, publicada no Diário Eletrônico do TCE da última segunda-feira, foi objeto de reportagem produzida pelo portal acritica.com, com o título “Extravagância: TCE adquire máquina de café por R$ 7,3 mil”. O texto foi reproduzido pelo Jornal A Crítica nesta terça-feira. Muito embora a reportagem tenha consultado o presidente da Corte, conselheiro Érico Desterro, ontem, a respeito do assunto, e tentado contato com o ordenador de despesas da Corte, Fernando Elias – este último sem sucesso -, não obteve a explicação necessária sobre a aquisição do item.

Hoje, a assessoria de comunicação informou que não apenas uma, mas duas máquinas, no mesmo valor cada, estão sendo adquiridas pelo tribunal sob a justificativa de que irão gerar uma economia nos gastos. As máquinas antigas serão leiloadas. De acordo com a assessoria, o TCE consome 200 quilos de café por mês para atender a 620 servidores ativos e autoridades, além de outras pessoas que procuram o órgão.

A assessoria também explicou que as máquinas mais baratas não atenderiam às necessidades da corte, uma vez que têm a capacidade de produção de 15 litros enquanto a nova, comprada em dezembro pelo TCE, produz 40 litros. Por fim, a assessoria explicou que a aquisição de 65 cestas básicas, a R$ 71 cada, foram doadas a servidores terceirizados e estão dentro do preço de mercado.

Sobre o veículo modelo Renault, comprado a R$ 36 mil, a assessoria explica que em Manaus, o preço é R$ 42 mil e que ele irá compor a nova frota do órgão e, a respeito da compra de 19 computadores, a assessoria alega que também houve economia.