Publicidade
Manaus
Manaus

Tempestades não podem ser previstas, diz Sipam

O meteorologista do Sipam Lucas Mendes disse que as tempestades como aconteceu no último sábado não podem ser previstas. No entanto, ele afirmou que nesse período de muito calor, os temporais são comuns. 18/09/2012 às 02:20
Show 1
Na Avenida Torquato Tapajós, os resultados da chuva com ventos fortes puderam ser vistos ainda na manhã deste domingo (16)
acritica.com Manaus

Tombamento de árvores, destelhamentos e 327 ocorrências de energia podem ser apontados como consequência da tempestade que atingiu Manaus, no último sábado (15). Outro fenômeno como este pode ocorrer neste trimestre.

Segundo informações do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), às 23h11, foram registradas rajadas de vento de 87 km/h no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes. No mesmo horário, o 1° Distrito de Meteorologia do INMET indicou ventos de 34 km/h e à meia-noite, de 56 km/h.

“Tempestades como a ocorrida no último sábado não conseguem ser prevista com dias de antecedência. Há um monitoramento, que possibilita acionarmos a Defesa Civil, cerca de 3h antes”, explicou o meteorologista do Sipam Lucas Mendes

Mendes ainda comentou que casos como o deste fim de semana são mais localizados, principalmente por causa do calor, comum nesta época do ano, que funciona como um gatilho para a formação de nuvens convectivas.

Conforme o Boletim Climático da Amazônia divulgado no dia 4 de setembro, os máximos de chuva concentram-se em uma região orientada na direção noroeste/sudeste, aumentando gradativamente a precipitação no Amazonas, Rondônia, sul do Pará e norte do Mato Grosso, principalmente no final do trimestre.