Publicidade
Manaus
PERIGO

Tempo seco e quente faz capital registrar 414 incêndios entre janeiro e julho

De acordo com o Corpo de Bombeiros, entre as maiores causas registradas está curto-circuito em fiação, mau uso do ferro de passar e da botija de gás. Queimadas somaram 171 ocorrências 22/08/2017 às 10:24 - Atualizado em 22/08/2017 às 10:27
Show bombeiros
Casos de incêndio 'explodiram' em agosto desse ano (Foto: Gilson Melo)
Rebeca Mota Manaus (AM)

O tempo seco e as altas temperaturas têm contribuído para o aumento gradativo de incêndios em Manaus. Conforme dados do Corpo de Bombeiros (CBMAM), de janeiro até julho, foram registradas 414 ocorrências de incêndios em diversas zonas da capital, sendo 103 somente no mês de julho. Os dados do mês de agosto ainda não foram consolidados.

De acordo com o capitão Paulo de Társio Costa, do CBMAM, entre as maiores causas das ocorrências recebidas para o Corpo de Bombeiros está curto-circuito em fiação elétrica, mau uso do ferro de passar roupa e da botija de gás.

O total de denúncias de focos de queimadas recebidas pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) até julho/2017 foram 171, sendo a maioria (51) na Zona Leste, seguidos das zonas Norte (45), Oeste (26), Centro-Sul (19), Sul (14) e Centro-Oeste (15).

Vários casos em agosto

Vários incêndios ocorreram em Manaus só na primeira quinzena de agosto. No último sábado, um incêndio atingiu um o terreno no Ministério Público do Estado  (MP-AM), localizado na avenida André Araújo, no bairro Aleixo Zona Centro-Sul  e, segundo relatos do Corpo de Bombeiros, essa teria sido a terceira vez que ocorre o incêndio no local. Já no dia 15 deste mês, um princípio de incêndio atingiu a antiga fábrica de cerveja, no bairro Aparecida, Zona Sul.

No dia 7, ocorreu um incêndio no supermercado DB, na avenida Manaus 2000, bairro Distrito Industrial, zona Sul de Manaus. E no dia 3 um incêndio atingiu um galpão usado como depósito de entulho no bairro Petrópolis.

Ações

A Semmas informou que desenvolve anualmente ações de sensibilização e orientação à população sobre os malefícios causados pela fumaça proveniente da queima de resíduos, por meio de oficinas, palestras, exposições e ações de distribuição de mudas. Neste período do ano, em que se intensifica o calor, a secretaria reforçou as ações de fiscalização e atendimento a denúncias.

De acordo com o secretário da pasta, Antonio Nelson Júnior, o órgão estabelece como estratégia o atendimento prioritário aos casos denunciados, destacando uma equipe para atendimento diário exclusivo às denúncias. A equipe composta por fiscal e um técnico em educação ambiental para as abordagens sai às ruas para as notificações e distribuição de material educativo.

Crime

Conforme dados fornecidos pela a Secretaria do Estado do Meio Ambiente (Sema), a principal causa de incêndios em locais abertos de Manaus, como em quintais e terrenos sem área construída, ainda é a queima do lixo doméstico para eliminação de resíduos, de folhas e galhos, o que é considerado crime, conforme a Lei de Crimes Ambientais (Lei nº 9605/1998).

Conforme o capitão Paulo Társio, a regra número um  para evitar esse tipo de incêndio é não fazer queimadas de lixo nos quintais. “Pois além de prejudicar o meio ambiente incomoda a vizinhança. Faça o descarte correto do seu lixo com a coleta. Evite jogar resto de cigarro em qualquer lugar, faça uma revisão da fiação elétrica e fique de olho nos ventiladores que são comprados, os importados são os que dão problemas rápidos. As pessoas acham que colocar um óleo é resolvido, mas estes equipamentos sobrecarregam a carga elétrica. E muita atenção ao uso do ferro de passar e da botija de gás”, orienta.

Grupo de Trabalho de Prevenção

Para combater e reduzir os focos de calor o governo criou, sob coordenação da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), criou o Grupo de Trabalho de Prevenção, Controle e Combate às Queimadas e Incêndios Florestais e Qualidade do Ar (GT Queimadas).