Publicidade
Manaus
Manaus

Temporal: Deputados dizem que órgãos são despreparados

O temporal que atingiu a cidade na noite de terça-feira deixou dezenas de casas destelhadas, árvores caídas, placas retorcidas, veículos destruídos e a maior parte da cidade sem energia elétrica. Parlamentares discutem sobre despreparo dos órgãos competentes do Estado 01/11/2012 às 14:26
Show 1
Céu de Manaus durante tempestade que deixou rastros de destruição por toda a cidade
acritica.com Manaus (AM)

Políticas públicas simples e eficazes de alerta e prevenção de fenômenos naturais, destinada à criação de mecanismos de acomodação comunitária segura e digna, poderiam minimizar prejuízos que viessem a ser causados à população.

O temporal que atingiu a cidade na noite de terça-feira (30) deixou dezenas de casas destelhadas, árvores caídas, placas retorcidas, veículos destruídos e a maior parte da cidade sem energia elétrica.

Os estragos deixaram o trânsito ainda mais complicado na manhã desta quarta-feira (31). Informações atualizadas da Divisão de Meteorologia do Sistema de Proteção do Amazonas (Sipam) dão conta que os ventos chegaram a até 85 km/h. 

"Evento severo"

Um alerta sobre a possibilidade de ocorrência de um "evento severo", em Manaus, foi feito pelo Sistema de Proteção do Amazonas às defesas civis do município e do Estado, e também à Eletrobras Amazonas Energia, 45 minutos antes de o temporal da última terça-feira (30) ocorrer.

Conforme nota enviada pelo Sipam, o plantão do órgão emitiu um alerta às 20h15, comunicando a chegada do evento previsto para um intervalo correspondente ao horário entre as 20h45 e 21h.

Cobranças

Durante Sessão Plenária nesta quarta-feira (1º/11), e Tribuna nesta (31), na Assembléia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputados debateram sobre a falta de preparo de alguns órgãos do Estado e se mostraram insatisfeitos com os sistemas de energia elétrica  e água da capital amazonense.

“Fico preocupado com a falta de diálogo entre os órgãos. O Sipam diz que encaminhou para a Defesa Civil informações sobre o temporal ocorrido na cidade, mas esta, por sua vez, diz que não teve qualquer informação. E aí cobramos que possamos fazer um debate franco e aberto aqui. Que todos os órgãos possam comparecer a este plenário”, declarou o deputado estadual Sinésio Campos (PT).

Sinésio Campos anunciou durante a Sessão Plenária desta quinta-feira uma série de eventos que serão realizados pela Assembléia Legislativa do Amazonas (ALEAM) para debater o problema de energia elétrica no Amazonas e da falta de água em Manaus.

De acordo com o parlamentar, no dia 12 de novembro, às 10h, acontecerá no Plenário da Casa, uma Audiência Pública sobre o Programa Águas para Manaus (Proama). No dia 13, às 14h, os deputados devem visitar as obras do Linhão de Tucuruí para conhecer os impactos positivos que o mesmo trará para o Estado.

No dia 14, às 10h, uma Audiência no Plenário da Casa debaterá a questão da energia elétrica, com participação de órgãos responsáveis.

Planos

O deputado estadual Marcos Rotta (PMDB) usou a Tribuna da Aleam nesta quarta-feira para chamar a atenção dos órgãos que têm a missão de estudar e alertar sobre os fenômenos naturais como o Instituto Nacional de Meteorologia do Brasil (Inmet), o Sistema de Vigilância da Amazônia (Sivam) e o Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam).

“Desconheço qualquer serviço feito pelo Sivam e pelo Sipam, onde estão enterrados bilhões e bilhões de reais, sem que eu tenha conhecimento de uma grande ação em favor da sociedade amazonense e da brasileira”, lamentou o deputado.

Marcos Rotta disse que os EUA, que sofre muito mais com tornados e furacões, disponibilizam meses antes as informações do que vai acontecer para que a população possa se prevenir. “Aqui em que pese todos esses órgãos, que envolve toda uma gama de material tecnológico que custam bilhões de reais aos cofres públicos, estamos entregues à própria sorte”, lamentou.

Na condição de presidente da Comissão de Defesa do Consumidor (CDC/Aleam), Rotta disse que a Amazonas Energia já foi chamada à responsabilidade várias vezes e continua não prestando serviço eficiente e contínuo em Manaus e no interior, embora sofrendo repreensões por parte da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que reduziu o preço da tarifa, quando a empresa solicitou aumento.

Políticas

Diretrizes que poderiam ser aplicadas para evitar estragos, como mapeamento dos espaços geográficos caracterizados como áreas de risco para prevenção de eventos naturais, e parcerias com órgãos e entidades especializados na coleta de informações e geração de bancos de dados para o desenvolvimento de ações estratégicas preventivas em momentos críticos, são consideras foram consideradas como de grande importância, pelos parlamentares.