Publicidade
Manaus
Manaus

Temporal e apagão causam transtorno em Manaus

Queda de árvores atrapalhou o trânsito em diversas vias da cidade. Vários bairros ficaram sem luz após um temporal que durou cerca de uma hora; quantidade de chuva chegou a 45 milímetros com ventos de até 60 km/h 31/10/2012 às 17:34
Show 1
O temporal gerou destelhamentos e queda de dezenas de árvores em Manaus
Bruno Strahm/ Camila Pereira/ Leandro Tapajós Manaus

O temporal que atingiu Manaus na noite de terça-feira (30) deixou dezenas de casas destelhadas, árvores caídas, placas retorcidas, veículos destruídos e a maior parte da cidade sem energia elétrica. Os estragos deixaram o trânsito ainda mais complicado na manhã desta quarta-feira (31). Informações atualizadas do Sipam dão conta que os ventos chegaram a até 85km/h. 

Até a noite desta quarta-feira, o "apagão" permanecia em dezenas de bairros. A assessoria de imprensa da Eletrobras Amazonas Energia informou que a empresa ainda contabiliza as áreas afetadas pelo corte de fornecimento de energia e vai se pronunciar sobre o assunto.

De acordo com o Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), durante a tempestade os termômetros registravam 30°C, tendo chegado a 36,3°C. Na estação automática do INMET, o registro de rajada de vento foi de 66 Km/h entre 21h e 22h. No aeroporto Eduardo Gomes, os registros de rajada reportados foram de 85 km/h às 21h20m e 65 km/h às 22h28.

A Defesa Civil em Manaus recebeu 103 ligações informando ocorrências provocadas pelo temporal. As áreas mais afetadas são os bairros das zonas Oeste e Centro-Oeste.

Conforme a Defesa Civil, foram relatados 80 casos de destelhamento de casas nos bairros São Jorge, Vila da Prata, Glória, Compensa, Redenção. Também há registro de destelhamento na Cidade Nova, Zona Norte. No bairro Ouro Verde, Zona Leste, o vento e a chuva provocaram o destelhamento de duas casas, causando alagação.

Por meio do telefone 199, número da Defesa Civil municipal, foram comunicados dezesseis tombamentos de árvores na Glória, Centro e Cidade Nova, além de outros três registros de árvores tombadas em vias públicas no Adrianópolis, Ponta Negra e Dom Pedro, mas a Secretaria Municipal de Limpeza recebeu 90 comunicados de árvores derrubadas pela ventania.

Segundo informações do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) em Brasília, durante a primeira hora do temporal, iniciado por volta de 21h20 de terça à noite, choveu o equivalente a 45 milímetros – o que é considerado uma quantidade alta neste espaço de tempo, segundo funcionária do órgão – o Sipam não informou o total estimado para o período. A assessoria do Sipam em Manaus deve divulgar mais dados nesta quarta-feira (31), pois o órgão só funciona até às 21h.  

De acordo com a assessoria do Sipam em Manaus, um alerta avisando sobre a vinda de tempestades deste porte foi enviado à Defesa Civil duas horas antes do temporal.

PAC's
Em nota, a Ouvidoria do Estado do Amazonas informou que as unidades do Pronto Atendimento ao Cidadão dos bairros Alvorada, Compensa e Educandos estão com os serviços suspensos por conta da falta de energia elétrica em decorrência do temporal que atingiu Manaus na noite desta quarta-feira, 30 de outubro. Já os serviços oferecidos pelas demais unidades do PAC estão funcionando normalmente. 

Destruição
Segundo a Infraero, os ventos chegaram a 60km/h durante a primeira hora da tempestade, velocidade que pode ter variado nas zonas de Manaus onde não há estação para medir os ventos.


Estragos foram comtabilizados na manhã desta quarta-feira (31). Árvores caíram, atingiram estoque de tijolos e carro de desembargadora, em oficina. (Foto: Clóvis Miranda)

No bairro São Jorge, em frente ao Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), uma árvore caiu e interrompeu o fluxo de veículos pelo local. Fios de alta tensão também foram derrubados. Agentes da Manaustrans tentavam organizar o trânsito na área.

Ainda no São Jorge, na rua Paraguaçu, uma árvore e um muro caíram em cima de um carro modelo Celta. De acordo com o estudante Billy Gram, o acidente aconteceu por volta das 21h30. "Não dá pra calcular o quanto de prejuízo, mas será grande", afirmou.

A faculdade Esbam, do bairro Aleixo, Zona Sul, localizado em uma travessa da Avenida Umberto Calderaro, teve seu telhado arrancado pelo forte vento. Há relatos dando conta de uma série de outros destelhamentos em moradias e pontos comerciais em diversos bairros das Zonas Norte, Oeste e Sul.

Um dos principais ocorreu próximo à Ponte Rio Negro, na Zona Oeste. De acordo com internautas, uma telha de zinco atingiu os fios de alta tensão e provocou curtos circuitos.

A arquiteta Cris Sotto Mayor postou em seu mural da rede social Facebook que no apartamento onde mora, no bairro Vieiralves, chegou a chover granizo. "Gente, aqui no 10º andar o 'Jr.' (temporal) entrou e alagou tudo. Tinha granizo também. Estavam jogando seixo na janela", comentou.

Estragos


Parte do muro do Estádio da Colina foi destrído durante temporal, bairro São Raimundo, Zona Oeste. (Foto: Clóvis Miranda)

Energia

Os bairros São Raimundo, Alvorada, São Jorge, Compensa, Flores, Distrito Industrial, Cidade Nova, Parque das Laranjeiras, Petrópolis, Aleixo, Conjunto Kissia, Nova Floresta, Conjunto Galiléia, Chapada e Vila da Prata ficaram às escuras.

Na Colônia Oliveira Machado, na Zona Sul, houve dois desbatamentos de muros e na Glória, região Centro-Oeste de Manaus, duas casas apresentam risco de desabar - uma na Glória e outra no Alvorada.

A coordenação da Defesa Civil informou que está com todo o efetivo distribuído em cinco equipes para fazer o atendimento das ocorrências. Eles contam com o suporte da Academia de Bombeiros Civis do Amazonas (ABCAM), grupo de voluntários que colabora nessas ocasiões.

A coordenação informa, ainda, que não recebeu nenhum alerta do Sistema de Proteção da Amazônia (SIPAM) sobre a possibilidade de ocorrência de temporal na intensidade do ocorrido na noite de ontem.