Publicidade
Manaus
Manaus

Tenho até setembro para me filiar a outro partido, diz Elias Emanuel

Líder do prefeito na Câmara Municipal, o vereador foi expulso do PSB por decisão da executiva municipal da sigla nesta quinta-feira (16) 17/04/2015 às 15:34
Show 1
PSB acusa Elias de infidelidade partidária porque o vereador não votou no candidato indicado pela agremiação à presidência da CMM
Luciano Falbo Manaus (AM)

Expulso do Partido Socialista Brasileiro (PSB) pela executiva municipal da sigla na noite desta quinta-feira (16), o vereador Elias Emanuel disse que vai aguardar o desenrolar do processo e deu sinais de que não deve recorrer às instâncias superiores da legenda para continuar filiado.

Questionado pelo Portal A Crítica se acredita que o PSB vai requerer o mandato dele, o vereador disse que a legislação eleitoral "é muito clara quando diz que o partido pode requerer o mandato daquele que se desfiliou". "Não é o meu caso. Eu estou sendo tirado", completou.

Elias Emanuel, que é líder do prefeito Artur Neto (PSDB) na Câmara Municipal de Manaus (CMM), disse que, neste momento, prefere focar na atuação do mandato parlamentar. "Estou focado no mandato, na liderança do prefeito na Câmara. Se for para se filiar a outro partido, tenho até setembro para fazer isso", afirmou.

Perguntado se acredita que a decisão do diretório municipal reflete a posição dos dois principais líderes da legenda no Estado, o deputado Serafim Corrêa e o vereador Marcelo Serafim, Elias Emanuel preferiu não comentar. "Prefiro não construir nenhum juízo sobre isso", disse.

A expulsão de Elias do PSB foi decida porque o vereador não votou no candidato do partido, Marcelo Serafim, à presidência da Câmara Municipal, em dezembro do ano passado, e preferiu o nome indicado pelo prefeito, o vereador Wilker Barreto, que se sagrou campeão. Elias foi acusado de infidelidade partidária por não seguir a orientação da agremiação, que no Amazonas é presidida por Marcelo Serafim.

Após a definição da nova Mesa Diretora da CMM, Elias Emanuel herdou o posto de líder da prefeitura, que foi ocupado pelo atual presidente da Casa durante a primeira metade da gestão de Artur Neto.

Elias disse que a sua atual situação não causou nenhum tipo de mal estar entre ele e o prefeito e o presidente da CMM. "Não causou. Inclusive, essa decisão do PSB é porque eu votei no vereador Wilker", afirmou.

O PSB não foi o único partido a punir com expulsão vereadores que votaram no candidato indicado pelo prefeito. O Partido Popular Socialista (PPS) expulsou Professor Samuel e Professora Jacqueline dos seus quadros.