Publicidade
Manaus
Manaus

Terminal rodoviário será entregue ao governo do AM no mês de novembro

A devolução do local para a administração estadual foi confirmada no último dia 13 pela SMTU. O município administra o terminal desde 1980 quando o Decreto Municipal nº 2099, definiu que a manutenção e administração do local ficaria sob responsabilidade da prefeitura 21/08/2012 às 07:11
Show 1
Terminal Rodoviário foi inaugurado em 1980 e está precisando de reformas
jornal a crítica Manaus

O Terminal Rodoviário Huascar Angelim, na avenida Mário Ypiranga Monteiro, bairro de Flores, Zona Centro-Sul, será devolvido depois de 32 anos para o Governo do Estado na primeira semana de novembro. A informação foi confirmada nesta segunda-feira (20), pela Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) que deve deixar o prédio da rodoviária até o final desde mês.

A devolução do local para a administração estadual foi confirmada no último dia 13 pela SMTU. O município administra o terminal desde 1980 quando o Decreto Municipal nº 2099, definiu que a manutenção e administração do local ficaria sob responsabilidade da prefeitura.

De acordo com a SMTU, apesar da mudança de prédio uma equipe da pasta ficará fazendo a administração do local até novembro. A partir da entrega do terminal rodoviário, a administração, bem como, os serviços do local serão geridas pelo Governo.

A sede da SMTU funcionará em dois prédios. A administração dos transportes urbanos, gerência e a superintendência funcionarão no prédio do antigo Lemos Buffet, localizado na avenida Maceió, bairro Adrianópolis. A parte operacional que envolve vistorias, atendimento ao público e o novo parqueamento da SMTU funcionarão no prédio do antigo Só Poços, ao lado do deposito da Ramsons, na avenida Torquato Tapajós, em Flores.

A SMTU justifica a devolução do terminal rodoviário para o Estado porque lá existe linhas interestaduais e internacionais e isso não é competência municipal. O Terminal Rodoviário foi inaugurado na década de 80 pelo governador José Lindoso. Do local, partem ônibus para viagens intermunicipais, interestaduais e internacionais para Caracas, na Venezuela.

Apesar de registrar um fluxo mensal de 28 mil passageiros e precisar de reparos, ainda não está confirmada nenhuma reforma.

Ontem, o chefe da Casa Civil do Governo do Amazonas, Raul Armônia Zaidan, informou que ainda não foi comunicado da mudança. Ele continua apenas com os dados expostos na conversa que teve com o superintendente municipal de Transportes Urbanos, Wesley Aguiar, no dia 4 de julho. Zaidan conta que na ocasião, Wesley apresentou a intenção de devolver a administração do lugar.

Questionado sobre a existência de projetos ou intenção de reformar, Zaidan disse que tais questões só poderão ser discutidas e elaboradas a partir do momento que a devolução for oficializada.

Administração
A rodoviária de Manaus deverá ficar  sob responsabilidade da Secretaria de Estado de Administração (Sead).  De acordo com o chefe da Casa Civil do Governo do Amazonas, Raul Armônia Zaidan, ainda não é possível falar sobre reforma ou valor dos reparos no local.