Publicidade
Manaus
Manaus

TJAM adia novamente julgamento de promotor do caso 'Ferrugem'

Ele é acusado pelo Ministério Público Estadual (MPE) de fraude processual, falsidade ideológica e de forjar auto de resistência 08/05/2012 às 17:03
Show 1
MPE acusa promotor Ronaldo Andrade de forjar troca de tiros, que resultaram na morte de uma pessoa
acritica.com Manaus

O julgamento do processo no qual o promotor de Justiça Ronaldo Andrade é acusado de fraude processual, falsidade ideológica e de forjar auto de resistência, foi adiado novamente, nesta terça-feira (08/05), pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (Tjam), por conta de mais um pedido de vistas do desembargador Domingos Chalub.

Andrade esteve presente durante a Operação ‘Cachoeira Limpa’, realizada em maio de 2011, no município de Presidente Figueiredo (a 180 quilômetros de Manaus), e que resultou na morte do empresário Fernando Araújo Pontes, o “Ferrugem”.

A acusação é de autoria do Ministério Público Estadual (MPE). O julgamento do processo foi adiado, no último dia 24 de abril, por conta do pedido de vistas do desembargador Domingos Chalub.

No dia 10 de abril, durante audiência do pleno que iria avaliar as acusações contra o promotor de Justiça, o desembargador Flávio Pascarelli pediu vistas do processo, suspendendo a audiência.