Publicidade
Manaus
Manaus

Trabalhadores da construção civil fazem manifestação contra a lei da terceirização em Manaus

De acordo com o presidente do Sindicato da Construção Civil e Montagem do Estado do Amazonas (Sintracomec), Cícero Custódio, a aprovação da lei contribui para a desvalorização do trabalhador 23/04/2015 às 11:27
Show 1
Trabalhadores fecharam a Avenida André Araújo em protesto a aprovação da Lei da Terceirização
acritica.com ---

Trabalhadores de cinco grandes construtoras da capital realizaram uma manifestação pacífica na manhã desta quinta-feira (23), na Avenida André Araújo, Zona Centro-Sul de Manaus. Um dos principais motivos da paralisação, que congestionou a principal via de saída da Zona Leste da cidade, é a aprovação da Lei da Terceirização, votada nesta quarta.

A Câmara dos Deputados encerrou a votação com a aprovação de todos os destaques polêmicos ao PL 4330/04, que regulamenta as atividades terceirizadas no País. PT, Psol e Pros fizeram obstrução à votação da matéria, que agora segue para a votação no Senado.

De acordo com o presidente do Sindicato da Construção Civil e Montagem do Estado do Amazonas (Sintracomec), Cícero Custódio, a aprovação da lei contribui para a desvalorização do trabalhador. “Não sou contra a lei em si, sou contra a maneira que ela é colocada, o trabalhador precisa ter seus direitos respeitados, ele precisa de cesta básica, um salário digno, uma rota que o leve e deixe em casa, plano se saúde e nós não vamos aceitar que eles percam esses direitos”, disse o presidente do Sindicato.

Ainda segundo Custódio, outras duas manifestações já estão previstas para a próxima semana. “Estamos negociando, mas muito provavelmente vamos paralisar na próxima quarta e quinta-feira em pontos diferentes da cidade. Nossa intenção é chamar a atenção da sociedade para que vejam que a terceirização não é uma boa opção para o trabalhador”.

O que é terceirização?

É forma de organização estrutural que permite a uma empresa transferir a outra suas atividades-meio, proporcionando maior disponibilidade de recursos para sua atividade-fim, reduzindo a estrutura operacional, diminuindo os custos, economizando recursos e desburocratizando a administração.