Publicidade
Manaus
Cotidiano, Fetagri, trabalhadores rurais, regularização de terras, INSS, Luz para Todos

Trabalhadores rurais promovem manifestação em Manaus

No Sétimo Grito da Terra, a categoria reivindicou entre outras coisas expansão do Programa Luz para Todos, Regularização Fundiária e mais postos do INSS 09/04/2012 às 13:24
Show 1
Munidos de faixas e cartazes os trabalhadores rurais do Amazonas realizaram passeata pelo Centro de Manaus
Florêncio Mesquita e Síntia Maciel Manaus

Produtores agrícolas de 15 diferentes municípios do Amazonas realizaram na manhã desta segunda-feira (9), no Centro de Manaus, o Sétimo Grito da Terra Amazonas 2012, para reivindicar entre outras coisas expansão e aceleração do Programa Luz para Todos, em algumas cidades do interior do Estado; Regularização Fundiária e implantação de postos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), nas localidades não atendidas pelo órgão.

Munidos de faixas e cartazes aproximadamente 100 agricultores realizaram uma passeata que saiu da Praça da Saudade até a sede do INSS, na Praça Dom Pedro II, no Centro de Manaus.

De acordo com a presidente da Federação dos Trabalhadores da Agricultura do Amazonas (Fetagri) Izete Rodrigues Rabelo, a aceleração do Programa Luz Para Todos, pelo Governo Federal, é necessária em virtude das dificuldades enfrentadas pela categoria no que diz respeito ao plantio, colheita e armazenamento da produção.

“Sem energia a mão de obra para plantar, colher e estocar a produção até ela ser comercializada é melhor. Por mais que o produtos não consiga comercializar toda a sua produção, os prejuízos são menores”, informa a dirigente da Fetagri.

Segundo ela, muitos produtores tiveram que sair de suas propriedades, devido a falta de energia elétrica. Entretanto, nos locais, em que houve abandono, e posteriormente a implantação do programa, os agricultores retornaram para as suas terras.

A ampliação de postos do INSS, em localidades do interior do Amazonas, também servirá para melhorar a vida dos trabalhadores do campo, observa Izete, em relação a pedidos de aposentadoria, por exemplo.

Ele explica que na maioria das vezes, o trabalhador rural tem que se deslocar a um município vizinho – onde exista um posto do órgão -, quando não, vem a Manaus.

“Acontece que nesses deslocamentos, caso falte algum documento para dar entrada no pedido de aposentadoria, ele terá que retornar, sem dar entrada no beneficio”, observa.