Publicidade
Manaus
Manaus

Travesti Bruno é preso e confessa detalhes do crime que gerou polêmica em Manaus

Larissa Benevides, de 22 anos, foi morta pelo travesti com golpes de canivete na rua São Francisco, bairro de Educandos, Zona Sul. Enquanto ela agonizava, populares filmavam tudo sem prestar socorro 22/04/2015 às 12:49
Show 1
Travesti Bruno foi preso na terça-feira (21), pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS)
Gabriele Bessa e Joana Queiroz Manaus (AM)

ASSISTA AO VÍDEO

O garçom Adson Bruno Pinto, 26, travesti conhecido como “Bruna”, foi apresentado na manhã desta quarta-feira (22), em coletiva de imprensa, na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), para prestar esclarecimentos sobre crime ocorrido na manhã do último dia 18, na rua São Francisco, no bairro de Educandos, Zona Sul de Manaus.

Bruno foi preso nesta terça-feira (21), por ter assassinado Larissa Benevides, de 22 anos, com golpes de canivete e gargalo de garrafa, além de lesionar o rosto e as costas da manicure Vilma Pereira da Silva, 38.

Durante coletiva, Bruno confessou o que lhe motivou a assassinar Larissa e ferir Vilma. O mesmo se demonstrou arrependido.

Segundo o delegado Ivo Martins, Bruno contou que teve uma discussão com Vilma em um bar do bairro Educandos. Ela estaria o difamando e conforme suas palavras “queimando seu filme” para os homens da área, fato este que o deixou revoltado.

Após os dois discutirem no bar, ele resolveu comprar um barbeador, tirar a gilete e ir “acertar as contas” com Vilma, que foi atingida no rosto e nas costas pelo travesti, durante luta corporal entre os dois.

Ainda segundo ele, a vítima fatal Larissa tomou as dores da amiga e foi atrás de Bruno com uma garrafa de vidro na mão. Ela teria jogado a garrafa nas costas dele e ainda tentando furá-lo com os cacos caídos do chão. Porém, o travesti foi mais rápido, sacou o canivete e a golpeou no pescoço.    

Durante apresentação, Bruno disse que estava sob efeito de entorpecentes e bebida alcoólica e comentou que estava muito arrependido: “Estraguei minha vida”, disse o travesti que também pediu perdão a seus familiares e à família de Larissa. Também presente da coletiva, a mãe de Larissa disse aos prantos que não o perdoa.

Vítima Larissa Benevides, de 22 anos

Adson Bruno Pinto será autuado por homicídio qualificado, por motivo fútil, e lesão corporal contra a Vilma.  Após procedimentos cabíveis da Justiça, ele foi encaminhado para a Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa e disse que está com medo dos presidiários.

Vídeo polêmico

A morte de Larissa, na manhã do sábado (18), foi registrada em vídeo logo após o crime ser cometido pelo travesti Bruno, e deu o que falar nas redes sociais.

Enquanto a jovem agonizava antes de morrer, populares assistiam a cena e gritavam para que Bruno parasse. Porém, o fato que chamou a atenção de muitos no vídeo, foi que as mesmas pessoas que se demonstravam “chocadas”, não largavam seus celulares das mãos para tentar ajudar Larissa e permaneciam filmando e registrando o ato.

No final da gravação, o travesti Bruno citou uma frase peculiar após ter matado Larissa: “Não soube fazer, eu faço”, disse.