Publicidade
Manaus
Manaus

Três dos sete membros da CPI da Água confirmam votação do relatório só depois do 1º turno

A proposta de mudança de data foi defendida nesta segunda-feira (24), na Câmara Municipal de Manaus (CMM), pelos vereadores Fabrício Lima (PRTB), Mário Bastos (PRP) e Joaquim Lucena (PSB) 25/09/2012 às 09:30
Show 1
Recomendações contra o atual e os ex-prefeitos de Manaus é um dos pontos que estão dividindo os membros da CPI
AUGUSTO COSTA ---

Três dos sete vereadores que compõem a CPI da Água querem empurrar a votação do relatório da comissão para 8 de setembro, um dia depois do primeiro turno das eleições municipais. A votação do documento estava prevista para amanhã. 

A proposta de mudança de data foi defendida nesta segunda-feira (24), na Câmara Municipal de Manaus (CMM), pelos vereadores Fabrício Lima (PRTB), Mário Bastos (PRP) e Joaquim Lucena (PSB). Eles argumentam que  a votação do relatório,  às vésperas das eleições,  seria contaminada pela disputa eleitoral e deixaria de lado critérios técnicos.

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), foi instalada no dia 28 de março. A votação do relatório  já foi adiada por três vezes por conta das recomendações feitas pelo relator, vereador Marcel Alexandre (PMDB). Uma delas sugere ao Ministério Público Estadual (MP-AM) que entre com ações judiciais contra o prefeito Amazonino Mendes (PDT) e os ex-prefeitos Alfredo Nascimento (PR), Luiz Carijó (PDT) e Serafim Corrêa (PSB).

Fabrício Lima disse que  a votação antes do pleito seria utilizada de forma eleitoreira.  “O vereador Carijó é citado e  concorre comigo na eleição.  O relatório fala do ex-prefeito Serafim Correa que é candidato. Não posso culpar o atual prefeito Amazonino Mendes, o senador Alfredo Nascimento (PR) que tem candidato do PR na eleição. Preciso ler o relatório na integra”, disse.

Ele disse que só conseguiu ler 120 páginas do relatório, que tem 300 páginas.  E foi entregue aos membros da CPI na terça-feira. “Acho que tecnicamente o relatório precisa de ajustes. Eu li as recomendações finais dele (relator Marcel Alexandre) e não concordo com essas sugestões de indiciamento dos ex-prefeitos. Nós não podemos indiciar ninguém, mas sugerir”, afirmou Fabrício Lima.

O vereador Mário Bastos  utilizou os mesmos argumentos de Fabrício. “Quando terminarmos a leitura nos reuniremos. Acho que dentro de mais uma semana terminamos. Estou na página 159. É um momento político e não devemos criar um palanque político nem pra A ou B. Estamos esperando o presidente da CPI, Leonel Feitoza, decidir. Devemos nos reunir amanhã (hoje) para tomar uma decisão”, explicou Bastos.

Joaquim Lucena (PSB) se manifestou a favor do adiamento.  “Concordo com o Fabrício. O relatório é muito grande. Tem muitas coisas técnicas. Estou na página 120”, disse.