Publicidade
Manaus
Manaus

Ufam apoiará haitianos

Representantes da universidade se reuniram com imigrantes para saber de suas necessidades mais urgentes e expectativas 30/01/2012 às 09:02
Show 1
Liderada pelo pró-reitor Frederico Arruda, equipe da Ufam informou que dia 5 de fevereiro será lançado edital de apoio humanitário
ANA CELIA OSSAME Manaus

A Universidade Federal do Amazonas (Ufam) lançará, no dia 5 de fevereiro, um edital de apoio humanitário aos haitianos em Manaus com o objetivo de desenvolver ações de extensão para atendê-los em suas necessidades mais urgentes.

O anúncio da iniciativa da entidade foi dado a imigrantes na tarde de sábado, na Paróquia de São Geraldo, no bairro de Nossa Senhora das Graças, Zona Centro-Sul, em reunião que contou com a presença do pró-reitor de Extensão e Interiorização (Proexti), Frederico Arruda, e de outros representantes da universidade.

Na ocasião, o pró-reitor informou aos imigrantes que estava ali para ouvi-los e conhecer suas necessidades e expectativas. Os haitianos agradeceram o apoio e disseram que esperavam ações concretas que pudessem ajudá-los a enfrentar os desafios de viver no Amazonas.

O pró-reitor informou que, por meio Programa Atividade Curricular de Extensão (Pace) via Atividade Curricular de Extensão (ACE), da Pró-reitoria de Extensão e Interiorização (Proexti), a reitoria da Ufam dará apoio incondicional aos imigrantes, oportunizando a realização das projetos e ações nas áreas de extensão da Ufam que os atendessem nas suas necessidades.

DOMÍNIO DO IDIOMA

Em nome dos haitianos, falaram os estudantes universitários haitianos Abdiás Dolce, 24, de Engenharia Química, e Leblanc Ulrick, de Pedagogia. Eles quiseram saber a respeito das datas em que serão apresentados os projetos e destacaram a necessidade de falar bem a língua portuguesa para facilitar a inserção deles no mercado de trabalho. Abdiás disse já ter um curso intensivo de português no Município de Tabatinga (a 1.105 quilômetros de Manaus), enfrenta dificuldades na pronúncia das palavras. Para ele, inclusive, é preciso mesmo, como propôs o pró-reitor da Ufam, que os amazonenses conheçam melhor a história dos haitianos que, embora estejam na condição de refugiados no Brasil, têm uma história de luta como a participação ativa de movimentos de independência de países como Equador, Peru e Venezuela.

População se mostra solidária

A vinda dos haitianos para Manaus está despertando a solidariedade do povo manauense. No  sábado, 28, e ontem, dezenas de jovens de Manaus ligados a igrejas evangélicas, católica e ao grupo Espírita Allan Kardek se mobilizaram na praça do bairro do Eldorado, no Parque Dez, Zona Centro-Sul, para uma ação humanitária em socorro aos imigrantes haitianos abrigados pelo projeto denominado Ama Haiti. 

O objetivo da ação é recolher doações de roupas de cama,  móveis em geral, ventiladores, além de alimentos perecíveis e não perecíveis para atender a pelo menos 150 haitianos recém-chegados a Manaus que encontram-se abrigados em um galpão localizado na rua Barão de Mariuá, no conjunto Shangrilá 1, no bairro do Parque Dez.

DOAÇÕES

De acordo com um dos integrantes do Ama Haiti, voluntários acompanham a permanência dos imigrantes e recebem as doações no local. Até o fechamento desta edição, eles ainda não tinham contabilizado o volume de doações recebidas nos dois dias. Quem quiser  fazer algum tipo de doação por entrar em contato por meio dos telefones 8128-3597, 9292-6504 e 8824-5866 e 8124-1582.