Publicidade
Manaus
Manaus

Ufam: Eleição para escolher novo reitor chega à reta final

Comunidade acadêmica fala sobre o que espera de reitor que vai administrar o terceiro maio orçamento do Amazonas 24/03/2013 às 15:36
Show 1
Nesta segunda-feira (25) ocorre o último debate entre os reitoráveis da Ufam
Nelson Brilhante ---

Na próxima quarta-feira, poderá ser escolhida a pessoa que terá sob controle o terceiro maior orçamento do Amazonas (menor apenas que o do Estado e o do Município de Manaus). A disputa pela reitoria da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), embora sem as “benesses constitucionais”, não fica nada a dever a qualquer campanha político-partidária. Proporcionalmente, nem disputa a cargo de Governador ou de Senador da República tem voto mais valioso. “Apenas” 35 mil eleitores decidirão quem terá na mão, no primeiro ano de mandato, nada menos que R$ 400 milhões.

Entre tantas diferenças em relação às demais disputas, os candidatos da Ufam não dispõem da generosa “verba de campanha” para custear, por exemplo, visitas às unidades acadêmicas de Parintins, Itacoatiara, Coari, Benjamin Constant e Humaitá.

Três chapas disputam a gestão de uma das maiores universidades públicas do Amazonas e a primeira do Brasil. A pesquisadora Márcia Perales tenta a reeleição contra o pleito dos professores Sylvio Puga e Henrique Pereira para o mesmo cargo. Amanhã ocorre o último dos sete debates entre os candidatos. O encontro será no auditório Eulálio Chaves, no Campus Universitário Senador Arthur Virgílio Filho.

Reivindicações

Na última quarta-feira, a Associação dos Docentes da Universidade Federal do Amazonas (Adua), em assembléia geral, definiu uma lista de reivindicações que foram entregues aos candidatos. Os pedidos giraram em torno de questões administrativas, gestão de pessoal, responsabilidade social da universidade e, principalmente, condições de trabalho.

Na área administrativa, querem mais “democratização do planejamento orçamentário” na capital e nas unidades do interior, além de um sistema de prestação de contas mais transparente. A novidade ficou por conta de proposta de “construção de creches para atendimento das necessidades das mães docentes, técnicas e discentes”.

No que se refere à gestão de pessoal, os professores pedem a abertura de novas vagas para docentes e o preenchimento das vagas deixadas por conta de aposentadoria, morte e exoneração.

Entre os alunos, algumas reivindicações parecem unanimidade, como por exemplo, melhoria na infraestrutura da instituição, reposição de professores e mais projetos de pesquisa e intercâmbio. As salas não dispõem de recursos básicos como retroprojetores, e a cada dia cresce o número de professores substitutos. “Com a palavra, os senhores candidatos!

Chapas intensificam trabalhos em dois dias

Oferecendo mudanças práticas, como o acesso à Internet, uma conquista dele enquanto diretor do Departamento de Estudos Sociais, Sylvio Puga garante que a proposta da chapa está sendo muito bem aceita. “Em todo lugar que chegamos, sentimos no aperto de mão, no olhar, no abraço, no carinho das pessoas, que elas querem mudança. E essa energia nos estimula muito”, adianta o reitorável. “Nessa reta final, vamos intensificar as visitas às unidades acadêmicas, fazendo corpo-a-corpo, mas também pelas redes sociais para ampliar nossa base de proposta”, conclui Puga.

Candidata à reeleição, a reitora Márcia Perales disse que, na reta final, continuará mostrando o que fez nos últimos quatro anos e o que ainda pode fazer. A reitora admite a diferença da primeira para a atual campanha. “Nesta, estamos na condição de gestor. Afirmamos com muita propriedade que esta administração tem uma postura respeitosa e ética. Se não fizemos tudo, não foi por falta de empenho. O fato é que, em alguns setores, a Ufam ainda não tem autonomia, depende de outros agentes para poder avançar”, conclui.

Apostando suas fichas no voto dos campus do interior, o candidato Henrique Pereira foi o último a retornar a Manaus. Na última sexta-feira, ele ainda estava “pescando” apoios na unidade acadêmica de Benjamim Constant (a 1.121 quilômetros de Manaus).