Publicidade
Manaus
Manaus

Um mês depois da saída de Gedeão Amorim, Seduc ainda não tem titular

Trinta dias se passaram desde a saída do titular da secretaria e o nome do substituto está indefinido 28/08/2012 às 06:44
Show 1
Gedeão Amorim deixou a Seduc, e Sirlei Henrique é a secretária interina
LÚCIO PINHEIRO Manaus

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) completou, no sábado (25), um mês sem secretário ou secretária. Nessa segunda-feira (27), a chefe da Agência de Comunicação do Governo do Amazonas (Agecom), jornalista Lúcia Carla Gama, informou que nesse intervalo, o governador Omar Aziz (PSD) convidou algumas pessoas, mas, até agora, ninguém aceitou o convite. “O governador tem feito convites, mas não aceitaram”, disse a jornalista.

No dia 30 de julho, Omar Aziz garantiu que não colocará um político no cargo e sim um técnico. “O perfil será técnico. De forma nenhuma político”, disse o governador. Quinze dias depois de tirar Gedeão Amorim do comando da Seduc, Omar Aziz, em discurso no Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM) sinalizou que a remuneração de secretário paga pelo serviço público pode ser um dos motivos para a demora em encontrar um substituto para o ex-secretário.

“Um secretário ganha R$ 12 mil por mês e cuida de orçamentos bilionários. Um gerente de loja ganha a mesma coisa. Um diretor de empresa do Distrito Industrial ganha duas vezes mais, e a responsabilidade dele não chega nem perto de um secretário. Então, se você quiser um bom gestor hoje, você tem que pedir por favor para ele vir trabalhar contigo”, declarou Omar Aziz, durante aula inaugural do curso de especialização em Gestão Pública realizado pelo TCE-AM.

Enquanto o governador não acha um substituto para Gedeão Amorim, que deixou a pasta sob suspeita de usá-la para viabilizar politicamente aliados e a si próprio, a Seduc continua comandada interinamente por Sirlei Henrique, secretária-executiva na gestão passada, e hoje alvo de investigação dentro do Governo do Estado.

Uma comissão investiga se Sirlei favoreceu empresa do marido dela em contratos com a secretaria. A CRÍTICA mostrou, no dia 27 de julho, que a secretária interina autorizou o pagamento de R$ 1,1 milhão à empresa L. O. Engenharia por obras realizadas sem licitação no período de 2010 a junho de 2012. A firma pertence ao marido dela, o engenheiro Luiz Carlos Lúcio Henrique. O governa já afirmou que a secretária interina não está entre as pessoas que ele sonda para assumir a pasta na vaga deixada por Gedeão Amorim.

Órgão tem orçamento de R$ 1,3 bi

O próximo titular da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) vai administrar, somente este ano, um orçamento de R$ 1,3 bilhão, R$ 2 milhões a mais que 2011.

Também estará sob a influência direta do novo secretário de Educação um contingente de 37 mil servidores. Deste total, 27 mil são professores, sendo 7 mil temporários - contratados sem concurso público.

Atualmente, a Seduc é responsável por 560 escolhas nos 62 municípios do Amazonas. Só em Manaus são 202 escolas. Destas, 135 são de Ensino Médio.

O ex-secretário de Educação do Amazonas é graduado em Filosofia pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam), e professor titular do Departamento de Filosofia da mesma instituição.

Antes de assumir o comando da Seduc, em 2005, Gedeão Amorim ocupou o cargo de secretário-executivo de Educação adjunto do Interior.