Publicidade
Manaus
Manaus

Unidades de saúde fazem exames gratuitos de hanseniáse no AM

De acordo com a presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia Regional Amazonas (SBD-AM), a campanha tem como objetivo sensibilizar os profissionais de saúde e toda a população, a fim de diminuir o índice desta enfermidade 04/05/2012 às 07:35
Show 1
Exame é fundamental para detectar a doença cedo e evitar lesões permanentes
jornal a crítica Manaus

As Fundações Alfredo da Matta (FAMT) e de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD) e ainda o ambulatório Araújo Lima do Hospital Universitário Getúlio Vargas integram, no Amazonas,  a Campanha Nacional de Combate a Hanseníase promovida pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) em todos os Estados brasileiros.

As três unidades de saúde vão oferecer neste sábado (5), das 8h às 14h, serviços de diagnósticos gratuitos para a população. “É muito importante o envolvimento dos dermatologistas no controle dessa doença que ainda representa um importante problema de saúde pública no País. Campanhas de rotina são realizadas pelos Programas de Controle de Hanseníase em todos os Estados, mas essa ação em especial tem grande importância pela participação da SBD e de todas as regionais”, ressalta a coordenadora estadual da campanha, a dermatologista Maria de Fátima Maroja.

Em 2011 foram detectados 582 casos novos de hanseníase no Estado. Desses, 46,1% eram residentes de Manaus e 53,9% de outros 51 municípios. De acordo com a presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia Regional Amazonas (SBD-AM), Valeska Francesconi, além do diagnóstico precoce da doença, o que evita lesões permanentes, a campanha tem como objetivo sensibilizar os profissionais de saúde e toda a população, a fim de diminuir o índice desta enfermidade.

“Espera-se que grande número de pessoas sejam examinadas e novos casos detectados, como também que a população seja estimulada a procurar um serviço de saúde nos primeiro sinais da doença”, disse.

Conforme dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil é o segundo país com maior incidência de hanseníase no mundo, ficando atrás apenas da Índia. Dos quase 230 mil casos novos detectados no mundo no ano passado, aproximadamente 35 mil foram registrados no território brasileiro. Ao lado da malária é a doença que mais aflige países pobres.