Publicidade
Manaus
Manaus

Valor de R$ 3,50 da tarifa de ônibus ultrapassa preço de uma refeição em Manaus

Valor pedido pelos empresários (R$ 3,50) é 41% mais caro que prato de comida mínimo recomendado pelo Governo Federal 23/03/2013 às 09:35
Show 1
Com os R$ 3,50 pedidos pelos empresários do sistema de transporte coletivo, o trabalhador pode almoçar durante três dias nos restaurantes do Prato Cidadão e ainda sobram R$ 0,50
carolina silva ---

O valor da tarifa de ônibus pretendida pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Manaus (Sinetram), R$ 3,50, se for aceita pela Prefeitura de Manaus será 41% mais cara do que uma refeição baseada na dieta saudável mínima recomendada pelo Governo Federal. Em Manaus, a porção de comida mínima estabelecida na dieta custa R$ 2,47, R$ 1,03 mais barata que um trecho no transporte coletivo da cidade.

Com os R$ 3,50 o usuário também poderia fazer três refeições no restaurante popular Prato Cidadão. Cada refeição custa R$ 1 e diariamente são servidos os alimentos que compõem a dieta mínima e ainda incluem arroz e macarrão.

O auxiliar de estoque Valdo Silva, 33, é um dos muitos usuários que sentiriam um impacto com o reajuste da tarifa considerado por ele abusivo. “Pra quem tem uma renda familiar de um salário mínimo, apenas, sabe a dificuldade que vai enfrentar para comer e garantir o transporte de casa pro trabalho e vice-versa”. Valdo almoça todos os dias  no  Prato Cidadão para driblar as dificuldades com as despesas principalmente com alimentação e transporte.

Prato mínimo

Uma simulação de A CRÍTICA mostra que para adquirir uma refeição baseada no “Guia Alimentar para a População Brasileira” é até mesmo mais barato que o valor da tarifa que é praticada atualmente, de R$ 2,75. O valor mínimo de R$ 2,47 para pagar a dieta recomendada pelo Governo Federal se baseou nos preços médios captados na feira da Manaus Moderna e em mercadinhos da Zona Leste. A CRÍTICA se baseou nos preços mais baixos encontrados.

O “Guia Alimentar para a População Brasileira” do Ministério da Saúde lista mais de 50 exemplos de porções de alimentos que podem ajudar a montar um cardápio saudável e sugestões de como colocar em prática essas informações. Uma das recomendações do Governo Federal é uma refeição com pelo menos 80g de farinha, 25g de feijão, um tomate e meio, 31,5g de carne moída e uma banana.

O menor preço encontrado por A CRÍTICA para a farinha “ovinha”, a preferida dos manauenses, foi de R$ 9 e 80g custaria R$ 0,72. Os 25g de feijão, recomendado pelo MS, custaria R$ 0,13, tendo em vista o valor de R$ 5 do quilo do feijão preto na feira da Manaus Moderna. Um tomate no prato do usuário custaria ao menos R$ 0,30 se fosse vendido por unidade e assim como uma banana sairia por R$ 1. Por último, os 31,5g de carne moída acrescentaria mais R$ 0,32, pois a média do preço do quilo é de R$ 10.