Publicidade
Manaus
TEMPO ATÍPICO

Variação de nuvens e pancadas de chuva estão previstas até o fim de semana

Baixas temperaturas e chuvas começaram no final de setembro e se intensificaram em outubro, segundo o CPTEC e Inpe 09/10/2017 às 20:54 - Atualizado em 10/10/2017 às 07:25
Show nuvem
Foto: Arquivo/AC
Silane Souza Manaus (AM)

Variação de nuvens e pancadas de chuva localizadas que poderão ser fortes e vir acompanhadas de trovoadas a qualquer hora do dia. Este é o prognóstico do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) para todos os dias desta semana, em Manaus. A probabilidade de chover de hoje até domingo é de 80%.

As chuvas e as baixas temperaturas começaram no fim do mês de setembro e se intensificaram no começo deste mês, ambos considerados os mais quentes do Amazonas.

Estiagem

A situação é atípica para o período, mas tem trazido certo alento e conforto para o Estado, onde várias regiões estão em situação de alerta e atenção por causa da estiagem.

Para A CRÍTICA, o secretário-executivo da Defesa Civil do Estado, Fernando Pires Júnior, disse, ontem, que pela leitura dos resultados é um momento atípico, não estava prevista toda essa quantidade de chuva, mas ao que parece é que o “inverno amazônico” se antecipou, uma vez que este mês ainda é um dos mais quentes do “verão amazônico”, o que refletiu na situação das calhas dos rios.

O Juruá e o Purus, por exemplo, estavam com nove municípios em situação de alerta pela estiagem, agora o órgão estuda tirar alguns deles desta condição. “Isso por causa do aumento do volume das águas, no entanto, por ainda estarmos no verão amazônico, os nossos olhares estão voltados para a hidrologia daquela região, principalmente para Boca do Acre, porque o Estado do Acre está em situação de emergência por conta da estiagem, e a calha do Madeira”, disse Fernando Pires.

De acordo com o último boletim de monitoramento do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), as bacias do Amazonas e Madeira continuam em processo regular de vazante, porém apresentaram redução na velocidade de descida nos últimos dias. O Solimões, que estava subindo nas últimas semanas em Tabatinga, voltou a descer recentemente. Contudo, nas estações mais abaixo, a velocidade de descida diminuiu.

O Negro é o único rio  em processo de vazante ao longo de todo o seu curso, apresentando níveis baixos para o período. Mas, no Porto de Manaus, o rio apresentou uma redução da sua velocidade de descida nos últimos dias.

Já os rios Acre e Purus seguem em processo crítico de vazante, porém, apresentam pequenas oscilações nos níveis dos últimos dias.

Fenômeno diminui visibilidade

O fenômeno que restringiu as atividades no Aeroporto Eduardo Gomes, ontem, em Manaus, foi a formação de bancos de nevoeiro, segundo o Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam).

O nevoeiro nada mais é do que a formação de uma nuvem próximo a superfície da terrestre. É formado quando o vapor d’água se condensa e transforma-se em várias gotículas d’água em suspensão na atmosfera. Considera-se como nevoeiro quando a visibilidade é menor que 1000 m e a umidade relativa do ar encontra-se acima dos 90 %. Quando a visibilidade está  abaixo de 1000 m mas a umidade relativa do ar encontra-se abaixo de 90 e acima de 80 %, temos a névoa úmida.

LEIA MAIS

Com voo cancelado, neblina faz aeroporto Eduardo Gomes operar por instrumentos