Publicidade
Manaus
INVESTIGAÇÃO

Veja imagens dos suspeitos de terem participado da morte de britânica no AM

Os procurados são Artur Gomes da Silva, o “Beira”; Evanilson Gomes da Costa, o “Baia”; Erimar Ferreira da Silva, o “Chico”; e Nilson Ferreira da Silva, o “Preto” 19/09/2017 às 18:41 - Atualizado em 19/09/2017 às 20:27
Show foragidos
Da esquerda para a direita, Evanilson Gomes da Costa, Erimar Ferreira da Silva, Nilson Ferreira da Silva e Artur Gomes da Silva
Kelly Melo e Rafael Seixas Manaus (AM)

A Polícia Civil divulgou na tarde desta terça-feira (19) a foto dos quatro suspeitos de terem participado da morte da atleta britânica Emma Kelty, de 43 anos, nas proximidades da comunidade Lauro Sodré, no município de Coari, distante 363 quilômetros em linha reta de Manaus. O pedido de prisão preventiva dos foragidos foi solicitado e a polícia pede ajuda da população do Estado para localizá-los.

Dos setes envolvidos no crime, três já estão presos sendo dois adolescentes de 17 anos e Erinei Ferreira da Silva, o “Alfinete”. De acordo com informações do delegado-geral adjunto da Polícia Civil, Ivo Martins, todos os três confessaram o crime e denunciaram os demais envolvidos. São eles Artur Gomes da Silva, o “Beira”; Evanilson Gomes da Costa, o “Baia”;  Erimar Ferreira da Silva, o “Chico”; e Nilson Ferreira da Silva, o “Preto”.


Erinei Ferreira da Silva, o “Alfinete”, já se encontra preso 

Ivo Martins informou à reportagem que todos os envolvidos no crime moram próximo ou na comunidade Lauro Sodré, local onde foram encontrados o caiaque e outros pertences da esportista britânica, e que todos são acostumados a cometer crimes pela região. Ainda conforme o delegado, Evanilson é quem alvejou Emma, já responde na Justiça pelo crime de homicídio e seria bastante conhecido em Coari.

Entenda o caso

A atleta britânica Emma Kelty, de 43 anos, foi morta com dois tiros de espingarda e depois jogada no meio do rio, nas proximidades da comunidade Lauro Sodré, no município de Coari. A informação foi divulgada na tarde desta terça-feira (19), pelo delegado-geral adjunto, Ivo Martins, que participou das oitivas com os criminosos confessos.

Segundo Ivo Martins, todos os depoimentos dos criminosos já capturados indicam que ela foi morta por volta das 19h da última quarta-feira (13). Eles relataram, em depoimento, que estavam em uma canoa e foram para a comunidade para praticar crimes ocasionais.

"Eles não são aqueles traficantes que achacam grandes quantidades de drogas nos rios da Amazônia. São pequenos traficantes e usuários de drogas que cometem crimes de oportunidade", afirmou Ivo.