Publicidade
Manaus
Manaus

Vereador Hissa se licenciará do cargo para se dedicar à campanha

Com a licença, Hissa abrirá mão de aproximadamente de R$57,2 mil ao mês, entre salário (R$ 9,2 mil), verba de gabinete (R$ 40 mil) e Conta para o Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap), o conhecido “Cotão” (R$ 8 mil) 14/06/2012 às 15:33
Show 1
A partir do dia 10 de agosto, Hissa deixará a CMM para cumprir compromissos de campanha
Ana Carolina Barbosa Manaus

O pré-candidato à Prefeitura de Manaus, vereador Hissa Abrahão (PPS), se licenciará da Câmara Municipal de Manaus (CMM) no dia 1º de agosto, dois meses antes das eleições municipais, para se dedicar integralmente à campanha. A candidatura do parlamentar deve ser confirmada no próximo sábado, durante a convenção do Partido Popular Socialista, que acontece às 9h, no Taj Mahal Continental Hotel, localizado na avenida Getúlio Vargas, Centro, na qual a legenda apresentará uma chapa “puro sangue” encabeçada por ele e tendo Guto Rodrigues como vice.

Com a licença, Hissa abrirá mão de aproximadamente de R$57,2 mil ao mês, entre salário (R$ 9,2 mil), verba de gabinete (R$ 40 mil) e Conta para o Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap), o conhecido “Cotão” (R$ 8 mil). Este último não vem sendo utilizado pelo parlamentar. Conforme a Lei 238/2010, que instituo o “Cotão”, o uso do benefício fica proibido a candidatos à eleição ou reeleição a partir deste mês.

Suplência e dedicação

Quem assumirá o lugar de Hissa será o primeiro suplente, Professor Samuel. De acordo com ele, embora a legislação vigente não determine o afastamento do cargo no caso de vereadores que se candidatarem, o parlamentar quer se dedicar às reuniões e compromissos que devem ocorrer nos dois meses que antecedem o pleito, seguindo uma orientação do próprio partido.

Sobre a possibilidade de o ex-senador Arthur Virgílio (PSDB) - do qual Hissa se aproximou na tentativa de uma aliança para as eleições deste ano - se lançar candidato, ele assegurou que “quanto mais candidatos participarem do pleito, melhor, inclusive para o eleitor, que é quem vai escolher, pois terá mais opções de voto”.

O vereador informou, ainda, que o PPS procurou vários partidos em busca de apoio e, embora alguns tenham acenado positivamente, a decisão foi de lançar uma chapa “puro sangue”, a exemplo do que pretende o PSB com o ex-prefeito Serafim Corrêa e o deputado estadual Marcelo Ramos.

Como ele acredita ter chances de chegar, pelo menos, ao segundo turno, acha que até lá, partidos que obtiveram sucesso na corrida eleitoral devem manifestar apoio à sua candidatura.  

“O PPS vem falando em candidatura há um ano. Como temos nossas convicções e idéias de fazer uma política diferente, sairemos com uma candidatura própria. Não estamos saindo para fazer revanche com ninguém. Como aposto na possibilidade de vitória, estou deixando meu mandato de vereador”, disse. Caso não seja eleito, Hissa terá o direito de resgatar o mandato, o qual encerra em dezembro deste ano.

Hissa Abrahão será candidato majoritário pela segunda vez. A primeira ocorreu em 2010, quando concorreu ao governo do Estado, ficando em terceiro lugar na disputa com um total de 138.281, ou, 9,36% dos votos do Estado.